Temer afirma que inflação abaixo do piso da meta é um ‘fato extraordinário’

10 de janeiro de 2018 at 16:22

Presidente reuniu equipe econômica no Palácio do Planalto na tarde desta quarta (10). Mais cedo, IBGE anunciou que IPCA fechou 2017 em 2,95%, abaixo do piso de 3%.

 Por Guilherme Mazui e Roniara Castilhos, G1 e TV Globo, Brasília

m reunião com ministros da área econômica no Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer classificou nesta quarta-feira (10) como “extraordinário” o fato de a inflação oficial do país ter ficado em 2,95% em 2017, abaixo do piso de 3% do sistema de metas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou nesta quarta que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, fechou 2017 em 2,95%. É a primeira vez que isso acontece desde que o regime de metas foi implantado no país, em 1999.

“Estamos reunidos aqui para comemorar um fato que é extraordinário, né. É algo que, pelo menos, desde 1999 não ocorria, ou seja, um índice de inflação abaixo do piso”, disse Temer, que se reuniu na tarde desta quarta com o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento).

Ao abrir o encontro com a equipe econômica, o presidente da República fez uma fala de agradecimento aos auxiliares. Ele afirmou que a inflação baixa vai representar para os brasileiros “mais empregos, mais comida na mesa, mais rendimento na poupança.”

Segundo o peemedebista, a inflação baixa também incentivará o consumo e a geração de emprego.

“A luta contra o desemprego encontra seu fundamento básico no aumento do consumo, no aumento da produção e, fundamentalmente, na redução da inflação e na redução dos juros”, declarou.

O presidente também afirmou que o governo deve seguir empenhado na recuperação econômica do país.

“Ancorados naquilo que nós já fizemos no passado, nós temos que continuar a fazer para manter a inflação baixa, para reduzir os juros tal como vêm sendo reduzido, e em consequência para gerar empregos e fazer com quem o brasileiro, repito, possa comer melhor, possa viver melhor, possa morar melhor”, disse.