Banda tem equipamentos furtados em Belém e lamenta prejuízo de R$ 12 mil

16 de maio de 2018 at 17:11

Banda tem equipamentos furtados em Belém e lamenta prejuízo de R$ 12 mil (Foto: Reprodução Instagram)

(Foto: Reprodução Instagram)

Menos de 10 dias após o assalto sofrido pelo tradional grupo de carimbó Sancari, outra banda é vítima da violência sem limites da capital paraense: os integrantes do grupo de pagode Saint Tropez tiveram instrumentos e equipamentos de som furtados de dentro de uma van, nesta terça-feira (15).

De acordo com relato de André Alvarez, vocalista do grupo, a van foi furtada por volta das 16h30 na avenida José Bonifácio, próximo à avenida Magalhães Barata, quase em frente a um colégio público.

O criminoso quebrou o vidro do lado ao banco do passageiro e ainda causou estragos nas poltronas da van. Foram furtados: um saxofone dentro da capa; uma flauta transversal; uma caixa de som da marca Behringer; uma mochila; e microfones com fios.

O prejuízo é estimado em quase R$ 12 mil.

Suspeito foi visto

De acordo com o vocalista do grupo, testemunhas viram um rapaz circulando pela área na parte da tarde e depois o viram correndo com objetos que teriam sido furtados da van. O músico espera que as câmeras de segurança da área possam ajudar na identificação do criminoso.

“Ele quebrou a janela com uma sandália, que ficou dentro do carro. Ele ainda quebrou parte dos bancos quando entrou no carro. Nós já fizemos Boletim de Ocorrência e vamos solicitar as câmeras de segurança do Ciop”, comenta André.

Músico pede ajuda

O vocalista da Saint Tropez ainda pede ajuda dos fãs da banda e de internautas em geral para que fiquem monitorando as redes sociais e os avisem caso vejam anúncios dos mesmos tipos de instrumentos ou equipamentos que foram roubados, principalmente se os preços estiverem muito abaixo do nível de mercado.

“Pedimos para as pessoas ficarem de olho em postagens de classificados online, como OLX. Muitos produtos são comercializados com rapidez nesses meios. Até mesmo em grupos de Facebook esses anúncios são comuns”, comenta André.

“O que nos dá esperança é que, por ser um nicho de mais fechado, desses produtos musicais, quem sabe tenhamos facilidade de achar os envolvidos”, completa.

O músico divulgou o caso nas redes sociais e disponibilizou telefone de contato para possíveis informações.

(DOL)