Eleições 2018: Bolsonaro interrompe ato de campanha após ser esfaqueado em Juiz de Fora, diz PM

6 de setembro de 2018 at 16:35

Folha  de São Paulo

Em campanha na cidade de Juiz de Fora (MG), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi atingido por uma pessoa com uma faca na mão, segundo a Polícia Militar. O candidato estava sendo carregado por apoiadores e foi retirado do ato.

“Não sabe a gravidade ainda ou o que está acontecendo”, disse o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável.

Já o presidente Michel Temer usou as redes sociais para rebater as críticas que vem recebendo do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin.

Com um tom irritado, pontuado por ironias, Temer disse que o tucano diz “falsidades” e vinculou aliados do ex-governador tucano à administração emedebista.

Enquanto isso, o MDB nos estados vai abandonando a candidatura do presidenciável Henrique Meirelles, que não decola nas pesquisas eleitorais. Levantamento divulgado nesta quarta-feira (5) pelo Ibopemostra Bolsonaro à frente, com triplo empate técnico entre Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB).

O presidenciável do PSOL, Guilherme Boulos, será o terceiro entrevistado da série de sabatinas promovida por Folha, UOL e SBT nesta quinta-feira (6). Entre os dias 10 e 14, serão sabatinados os presidenciáveis Alvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB), Cabo Daciolo (Patriota), Henrique Meirelles (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL). Acompanhe aqui a sabatina.

  • 16h096.set

    Bolsonaro interrompe ato de campanha após ser esfaqueado, diz PM

    Em campanha na cidade de Juiz de Fora (MG), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi atingido por uma pessoa com uma faca na mão, segundo a Polícia Militar. O candidato estava sendo carregado por apoiadores e foi retirado do ato.

    “Não sabe a gravidade ainda ou o que está acontecendo”, disse o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável.

    O candidato foi encaminhado para a Santa Casa de Juiz de Fora. Segundo a PM, um suspeito foi detido, mas ainda não foi identificado.

    Divulgação
    Bolsonaro interrompe ato de campanha após ser esfaqueado, segundo PM. A imagem está circulando em um grupo de WhastApp pró-candidato do PSL
    Bolsonaro interrompe ato de campanha após ser esfaqueado, segundo PM. A imagem está circulando em um grupo de WhastApp pró-candidato do PSL

    Flavio, outro filho do candidato, disse que o caso não é grave e pede orações.

  • 16h046.set

    Veja novo vídeo da campanha de Alvaro Dias

  • 14h086.set

    Pastor ‘da irmã Marina Silva’ defende candidata e rebate Malafaia

    O pastor Hadman Daniel usou culto da Assembleia de Deus do Novo Dia para sair em defesa de Marina Silva, descrita por ele como “mulher de oração, crente, serva de Deus e temente ao Senhor”. A presidenciável da Rede frequenta a instituição, em Brasília, presidida pelo líder religioso.

    Sem citar nomes, Hadman afirmou que “tem muita gente” no meio evangélico falando “muita coisa e questionando o caráter da irmã Marina Silva”.

    Até agora, o principal ataque que a candidata sofreu de seus pares nesta eleição veio do pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

    Em vídeo divulgado no fim de junho, ele pregou que cristãos não votem nela e se disse arrependido de tê-la apoiado em 2014 —agora, está alinhado com Jair Bolsonaro (PSL).

    “Pastor da irmã Marina Silva sou eu”, disse Hadman repetidas vezes durante o culto. “Você pode não concordar com o plano de governo dela. Isso é com você. Mas não diga que ela não é mulher de Deus, porque eu caminho com ela.”

    A intenção da fala era “fazer uma colocação para pastores grandes, de igrejas muito maiores do que esta que eu pastoreio, pastores que têm alcance nacional, que têm acesso a televisão e a rádio”.

    Num recado aparentemente dirigido a Malafaia, ele afirmou: “Queridão, você não conhece a irmã Marina Silva. Eu conheço e você não. Então não fale dela. Não fale do que você não sabe”.

    No ataque de junho, Malafaia reclamou da proposta de Marina de considerar plebiscitos sobre aborto e descriminalização das drogas.

    O vídeo do pastor Hadman começou a circular em redes sociais nos últimos dias e teria sigo gravado em agosto. A Folha procurou o pastor e a igreja, mas não conseguiu contato.

    No discurso, o líder da igreja de Marina disse ainda que não estava pedindo votos para ela. “Você vota em quem quiser. É uma questão de consciência sua. Se você não concorda com o plano de governo dela, ache outra desculpa, mas não a acuse de não ser mulher de Deus.” (Joelmir Tavares)

  • 13h196.set

    Justiça Eleitoral solicita que Maroni retire do ar propaganda que ofende a mulher

    O MPE-SP (Ministério Público Eleitoral de São Paulo) ingressou com uma representação contra o empresário e candidato a deputado federal Oscar Maroni Filho, do Pros.

    O órgão entendeu que os vídeos de sua propaganda eleitoral veiculados em redes sociais fazem apologia à prostituição, expõe as mulheres como mercadorias e em situação degradante, além de Oscar mencionar seus estabelecimentos.

    O MPE solicita a retirada imediata dos vídeos do ar e que o candidato seja proibido de divulgar e publicar esses materiais. (Patrícia Pasquini)

    Leia mais

  • 13h116.set

    Após cinco meses no limbo, inquérito sobre Alckmin chega à promotoria eleitoral

    O inquérito que apura suposto caixa dois a Geraldo Alckmin (PSDB) delatado pela Odebrecht chegou nesta quinta-feira (6) à Promotoria eleitoral da capital paulista. Os autos passaram cinco meses em um limbo jurídico.

    Quando o tucano renunciou ao Governo de São Paulo para disputar a Presidência, em abril, perdeu o foro especial. Desde então, o processo estava em trânsito.

    Nesta quinta, o promotor da primeira zona eleitoral de São Paulo Luiz Henrique Dal Poz recebeu os autos com um pedido de compartilhamento.

    O Ministério Público paulista havia pedido o compartilhamento quando a Procuradoria-Geral da República, que tocava o caso no Superior Tribunal de Justiça enquanto Alckmin era governador, decidiu encaminhar o caso à esfera eleitoral.

    Com a decisão, o tucano saiu da mira imediata da Operação Lava Jato. (Thais Bilenky)

  • 13h066.set

    Temer agora rebate acusações do PT e diz que Haddad ‘inventa coisas de sua cabeça’

    Depois de tentar vincular Geraldo Alckmin (PSDB) a seu governo, o presidente Michel Temer gravou um novo vídeo em que se defende daqueles que o chamam de “golpista” e acusa Fernando Haddad (PT) de “inventar as coisas da sua própria cabeça”.

    “Quero recomendar a você, quando você e seus companheiros me chamam de ‘golpista’, […] eu quero que você leia a Constituição, Haddad”, diz o presidente na gravação. “Quando um presidente é impedido, o vice-presidente constitucionalmente assume.”

    O vídeo, noticiado pela coluna Painel, deve ser divulgado pelo Palácio do Planalto na tarde desta quinta (6).

    “Hoje, Haddad, ninguém quer cumprir a Constituição. […] As pessoas querem fazer o que você está fazendo: ou seja, inventar as coisas da sua própria cabeça”, afirma Temer. “Não diga isso, Haddad, não combina com você.”

    O objetivo do presidente com este capítulo de suas gravações na campanha eleitoral é se contrapor às críticas feitas pelo PT a seu governo e, no futuro, vincular sua atuação política aos governos Lula e Dilma Rousseff.

    No vídeo, Temer ironiza a candidatura de Haddad. “Você […] pode ser candidato a vice-presidente ou candidato a presidente da República… Não sei bem como serão as coisas”, declara, em referência à provável substituição de Lula na chapa petista.

    O presidente ainda rebate críticas do PT à reforma trabalhista, sancionada em seu governo. “Um outro ponto que eu recomendo também na leitura da Constituição, até indico o artigo para você, Haddad, é o artigo 7º, que tem um longo elenco de medidas protetoras do trabalhadores. Não adianta você dizer que nós tiramos direitos dos trabalhadores, porque está na Lei Maior.”

    Temer encerra com um recado ao petista sobre esses ataques: “Tome cuidado, Haddad. Tenha cuidado”. (Bruno Boghossian)

  • 10h426.set

    ‘Não votei em Temer’, diz Alckmin

    Durante a sabatina Estadão-Faap realizada nesta quinta-feira (6), o presidenciável Geraldo Alckmin citou Michel Temer logo no início.

    Em resposta aos vídeos em que o presidente Michel Temer (MDB) o ataca e o vincula ao seu governo, o presidenciável Geraldo Alckmin disse que “o problema do governo Temer não são os ministros, mas o presidente, que não tem liderança nem legitimidade”.

    O presidente acusou Alckmim de ser injusto com as siglas que apoiam seu partido na campanha presidencial.

    Na gravação, divulgada nesta quarta-feira(5), Temer vincula integrantes dos partidos do centrão que estão associados ao tucano e participaram de seu governo.

    Alckmin ainda disse não ter votado em Temer. “Não votei nele. Ele é da chapa da Dilma. Foi vice da Dilma, e reincidente, duas vezes”, disse, para brincar posteriormente: “o presidente Temer está de mal comigo.” (Guilherme Seto)

  • 10h286.set

    TSE aprova registro de candidatura de Bolsonaro

    O TSE aprovou na manhã desta quinta-feira (6) o registro de candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República.

    O pedido havia sido contestado por um advogado, que alegou que, por ser réu no STF, Bolsonaro não poderia ocupar a Presidência. Ele responde a um processo por injúria e apologia ao estupro.

    No entanto, por unanimidade, os ministros entenderam que ele se enquadra nos quesitos de elegibilidade. A lei da Ficha Limpa barra políticos condenados, não réus.

    Agora, 12 dos 13 candidatos à Presidência que pediram registros ao TSE estão oficialmente na corrida eleitoral. A única candidatura indeferida é do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Seus advogados recorrem da decisão da corte. (Letícia Casado)

  • 9h256.set

    Temer quer resposta imediata a todo ataque que considerar oportunista

    O presidente Michel Temer disse a assessores que não vai deixar sem resposta nenhum ataque que considerar oportunista.

    Depois de divulgar dois vídeos na noite de quarta-feira (5) e na manhã desta quinta (6) mostrando a relação dos aliados de Geraldo Alckmin (PSDB) com o seu governo, Temer vai esperar a reação da campanha tucana.

    Reservadamente, um aliado do tucano disse que, impopular, Temer é o melhor adversário e que a ideia é atacar.

    Segundo o marqueteiro do MDB e do Planalto, Elsinho Mouco, a ordem do presidente é que nenhum ataque fique sem resposta.

    “Ataque político é ataque político. Ataque oportunista, falso, terá resposta na hora. Assim deliberou o presidente”, disse o marqueteiro. (Daniel Carvalho)

  • 8h266.set

    Guilherme Boulos participa nesta quinta da sabatina de Folha, UOL e SBT com presidenciáveis

    O candidato do PSOL à Presidência da República, Guilherme Boulos, é o entrevistado desta quinta (6) da série de sabatinas promovida por Folha, o UOL e o SBT.

    A ordem determinada foi por sorteio. Os primeiros entrevistados foram Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Nesta quarta (5), o espaço estava reservado ao PT, cujo candidato, Luiz Inácio Lula da Silva, está preso em Curitiba.

    Entre os dias 10 e 14, serão sabatinados os presidenciáveis Alvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB), Cabo Daciolo (Patriota), Henrique Meirelles (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL).

    Clique aqui para acompanhar a sabatina

    Karime Xavier – 20.ago.2018/Folhapress
    O presidenciável do PSOL, Guilherme Boulos, durante entrevista na sede do partido em São Paulo
    O presidenciável do PSOL, Guilherme Boulos, durante entrevista na sede do partido em São Paulo