Popular Tags:

STF deve evitar ‘decisões panfletárias e populistas’, diz Gilmar Mendes sobre afastamento de parlamentares

9 de outubro de 2017 at 13:59

Ministro falou sobre decisão da Primeira Turma de afastar o senador Aécio Neves (PSDB) do cargo.

Por Tahiane Stochero, G1 SP

O ministro Gilmar Mendes participou de palestra em São Paulo (Foto: GloboNews/Reprodução)

O ministro Gilmar Mendes participou de palestra em São Paulo (Foto: GloboNews/Reprodução)

ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Gilmar Mendes disse nesta segunda-feira (9), em São Paulo, ao ser questionado sobre a decisão da Primeira turma de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do cargo, que a Corte vai “resolver o problema de interpretação da Constituição” na quarta-feira (11).

Para ele, o STF precisa evitar decisões “panfletárias e populistas que não encontrem respaldo no texto constitucional”.

O afastamento de Aécio do mandato de senador foi determinado na semana passada pela Primeira Turma do tribunal, que também ordenou o recolhimento domiciliar noturno do tucano. O Senado adiou a decisão se acata ou não a determinação. Alguns senadores entendem que a Casa deve autorizar o cumprimento das medidas.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), que participava do mesmo evento, afirmou que o Senado não vai “contra-atacar” o Supremo. “Não se trata de ataque ,nem contrataque, porque estamos diante de interpretação da Constituição, não há poder que seja maior do que o outro. São poderes separados e uma turma do STF já decidiu sem unanimidade. Vamos esperar a decisão de quarta-feira”, disse.

Nesta quarta (11), o plenário do STF – que reúne os 11 ministros do tribunal – deve julgar uma ação direta de inconstitucionalidade que pede que o tribunal considere a possibilidade de o Congresso Nacional rever, em até 24 horas, qualquer medida cautelar imposta a deputados e senadores, como suspensão do mandato e recolhimento domiciliar.

Para Mendes, a discussão envolve “um problema de interpretação da Constituição”, que será resolvido pelo STF.

“O tema vai ser discutido no plenário do Supremo na quarta. Eu sei que que o Senado e a Câmara se manifestaram que o afastamento cabe a cada uma das Casas e isso que está no artigo 53 da Constituição Federal. Há um problema de interpretação que será resolvido (pelo STF)”, afirmou, ao conversar com a imprensa após seminário sobre a reforma política em São Paulo.

Questionado sobre se teme “anormalidade entre as instituições” devido ao julgamento, caso o Congresso não concorde com a decisão e tome outra medida, Gilmar Mendes negou.

“Não, não vejo. Acho que o Supremo terá que refletir sobre todas as questões e terá que fazer análise aprofundada do texto constitucional. O que devemos evitar são decisões panfletárias e populistas que não encontram respaldo no texto constitucional. Este é o grande risco ao sistema porque a todo momento estamos produzindo uma decisão que provoca insegurança jurídica e provoca dúvida sobre a capacidade do tribunal de aplicar bem a Constitucional”, afirmou.

Gilmar comparou a disputa do caso com a diferença de posições no próximo Supremo em relação aos casos da Vaquejada e do aborto.

“O tribunal, por exemplo, decidiu proibir a vaquejada e o Congresso reestabeleceu. A primeira turma, outro dia, liberou o aborto. São duas decisões contraditórias. Permite o aborto e proíbe a vaquejada. Veja que este tipo de decisão obviamente não é compreendida pela população. Como você permite a morte de crianças e fetos mas diz que o boi não pode ser maltratado. Isso produz incongruência hermenêutica difícil de se sustentar”, afirmou.

Caso o Supremo decida afastar e o Senado responda com contramedidas, ele não acha que vai ter ruptura:

“Não, não acredito. No caso da vaquejada, o STF declarou que era inconstitucional a lei do Ceará e o Senado veio, o Congresso veio e aprovou uma emenda. Isso se chama de diálogo constitucional. Vamos aguardar um pouco para que saibamos os desdobramentos para ver em que contexto estamos falando”.

O ministro também falou sobre o tema no último dia 3 ao dizer que não se deve ‘acender um fósforo para saber se há gasolina no tanque’

Manifestantes jogam tomates em prédio onde Gilmar fez palestra (Foto: Tahiane Stochero/G1)Manifestantes jogam tomates em prédio onde Gilmar fez palestra (Foto: Tahiane Stochero/G1)

Manifestantes jogam tomates em prédio onde Gilmar fez palestra (Foto: Tahiane Stochero/G1)

 Tomataço

O ministro foi, mais uma vez, o principal alvo de um grupo de manifestantes que protestou ao jogar tomates na portaria do Instituto de Direito de São Paulo (IDP), onde o ministro fez a palestra. Um dos carros que fazia escolta para Gilmar foi atingido.

Os manifestantes reclamavam que Gilmar Mendes concedeu liberdade a condenados pela Lava Jato.

“Ei Gilmar, me diz por que você sempre solta seus amigos e os amigos do poder”, cantavam os manifestantes.

Gilmar Mendes afirmou que não viu os manifestantes e nem os tomates mas que atos em relação a decisões do Supremo são normais. “Absolutamente normal as pessoas têm as suas contradições. Há alguma incompreensão de afazeres do STF, questões que decidimos, que são polêmicas”.

Em agosto, o mesmo grupo se manifestou contra Gilmar. Na ocasião, o manifestante Ricardo Rocchi foi retirado do evento com uma sacola de tomates.

Gilmar é recebido com tomates por protestantes num evento em São Paulo

Gilmar é recebido com tomates por protestantes num evento em São Paulo

Manifestantes protestam contra Gilmar Mendes em SP (Foto: Tahiane Stochero/G1 )Manifestantes protestam contra Gilmar Mendes em SP (Foto: Tahiane Stochero/G1 )

Manifestantes protestam contra Gilmar Mendes em SP (Foto: Tahiane Stochero/G1 )

Os 10 fatores que impedem a mulher de chegar ao orgasmo

9 de outubro de 2017 at 01:55

Os 10 fatores que impedem a mulher de chegar ao orgasmo (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Um estudo chamado Mosaico 2.0, que mapeou o comportamento sexual dos brasileiros, 55% das mulheres ainda enfrentam dificuldades de atingir o orgasmo. E a maior parte dos obstáculos para chegar ao ápice do prazer feminino são psicológicos, segundo a psiquiatra Carmita Abdo, do Programa de Estudos em Sexualidade da USP.

Veja uma lista dos 10 fatores mais comuns que impedem as mulheres a alcançar o orgasmo, e saiba como contorná-los.

1) Acreditar que o orgasmo depende apenas da penetração

A psiquiatra Carmita Abdo afirma que só um 1/3 das mulheres chega a orgasmo com penetração. Outro 1/3 o alcança por meio do clitóris e o restante nem consegue atingi-lo. Quem faz parte do último grupo, deve, segundo a especialista, considerar três razões primordiais: falta de repertório sexual, penetração precoce e descuido nas preliminares –parte fundamental do processo.

2) Preocupação em excesso

Entrar no sexo muito preocupada em ter orgasmo, prejudica. “Ele é só a terceira fase do ciclo de resposta sexual. Antes, tem o desejo e excitação”, conta a psicóloga e sexóloga Priscila Junqueira, de Campinas.

Se as duas primeiras etapas não forem bem executadas e curtidas, haverá prejuízo na resposta final, quando corpo e mente precisam entrar em repouso.”, continua Priscila.

3) Obrigação do ritual

Transar não é como um jogo de tabuleiro cheio de estratégias a serem cumpridas. Se a interação for mecânica e marcada por exigências, o orgasmo certamente ficará comprometido. Relaxar é a exigência número um para gozar. Deixe as regras para outras ocasiões.

4) Desconhecimento do próprio corpo

Cada corpo tem seu próprio mapa do prazer. E a melhor forma de descobri-lo é experimentando. Para Priscila, é fundamental conhecer suas zonas erógenas. Descubra o que lhe excita e crie suas fantasias. Esse conjunto de fatores dá autonomia, tira a responsabilidade do parceiro e, consequentemente, aumenta a excitação –prato cheio para o orgasmo. Toque seu corpo, explore a vulva e use brinquedinhos eróticos.

5) Aversão à masturbação

Ainda segundo dados da Mosaico 2.0, 40% das mulheres brasileiras não têm o hábito de se masturbar. Carmita conta que, até os anos 1970, a masturbação era considerada suja e doentia. O que os especialistas fazem questão de reforçar é que é uma prática extremamente saudável para a vida sexual e a primeira etapa do prazer, antes da descoberta com o parceiro.

6) Baixa autoestima e insegurança

A insatisfação com o próprio corpo ainda é um empecilho para se entregar ao prazer sexual. Por se acharem feias, fora de forma e até sujas, mulheres deixam a baixa autoestima afetar a performance.

E aí não há como se sentir confortável com as carícias. Mais do que genital, o orgasmo é uma questão emocional. Procure ajuda!

7) Depressão

Carmita destaca que a condição depressiva anula o entusiasmo, desejo, agilidade sexual e ritmo. E antidepressivos potencializam esse efeito, já que atuam diretamente no retardo da libido.

Parar de tomá-los sem que a doença tenha sido curada não é o caminho. O ideal é focar no tratamento para que, ao final, o orgasmo naturalmente chegue. Uma etapa de cada vez!

8) Ansiedade

Se o relaxamento é o potencializador do orgasmo, uma pessoa ansiosa terá dificuldade de gozar. Preocupação com o ato, pressão para dar prazer ao outro, medo de decepcionar, desconforto e falta de intimidade são alguns agravantes da ansiedade na hora do sexo. Se a situação é recorrente, procure ajuda de um especialista.

9) Cansaço e rotina

Colocar o sexo na lista de tarefas obrigatórias, assim como tratá-lo como última atividade do dia depois de uma rotina cansativa de trabalho, detona o estímulo ao orgasmo. Se transar for só uma tarefa a mais da sua agenda diária, repense. Ele certamente não te levará ao clímax.

10) Traumas sexuais

Mulheres que já foram vítimas de violência, abuso e assédio podem sofrer com a inibição da sexualidade de forma geral. E isso naturalmente comprometerá o orgasmo.

“Em alguns casos, elas não chegaram necessariamente a se darem conta da agressão no momento em que ela aconteceu, mas carregam lembranças inconscientes que interferem no prazer”, explica Carmita.

Nesses casos, é imprescindível o acompanhamento psicológico para superar traumas e voltar a ter uma vida sexual satisfatória.

(Com informações do portal UOL)

Ladrões furtam R$ 6 milhões. R$ 3 milhões eram do genro do governador Simão Jatene

9 de outubro de 2017 at 01:35

Ladrões furtam R$ 6 milhões. R$ 3 milhões eram do genro do governador Simão Jatene (Foto: Reprodução Instagram)

Os ladrões que invadiram o prédio roubaram cerca de R$ 3 milhões do escritório de Ricardo Souza (foto), genro do governador Simão Jatene (Foto: Reprodução Instagram)

Cena de filme. Oito assaltantes, dois carros, cerca de seis horas de ação criminosa para furtar um valor aproximado de R$ 6 milhões: esse são alguns dos números do assalto ao edifício Mirai Office, prédio comercial localizado no bairro do Umarizal, em Belém, no início da manhã deste domingo (8).

Fontes da Secretaria de Segurança Pública confirmaram que apenas do escritório de Ricardo Souza, genro do governador Simão Jatene, casado com Izabela Jatene, foram levados R$ 3 milhões. Das outras 16 salas roubadas, o prejuízo totaliza mais R$ 3 milhões. Uma porta de aço blindado foi retirada com uma cartadora de asfalto da sala de Ricardo Souza.

Os assaltantes invadiram 17 salas comerciais em sete andares do prédio. Eles chegaram ao prédio em uma caminhonete. Todos estavam fortemente armados.

Os dois vigilantes que estavam de serviço foram feitos reféns. Após o alarme ser acionado, avisando a seguradora do edifício, um terceiro segurança, se deslocou até o local, mas também foi feito refém.

“Eles diziam o tempo todo que não iam fazer nada com a gente, que só queriam levar o dinheiro dos grandões, mas mesmo assim…tive medo, pois estava tudo escuro e achei que eles fossem atirar em nós, já que estavam todos de cara limpa (sem máscaras), disse um dos funcionários que foi feito refém.

Ainda segundo os reféns, os homens se comunicavam o tempo todo com os membros do bando que estavam dentro do prédio e com um outro integrante que parecia estar na rua, em um carro.

Por volta de 3h, os três reféns foram trancados em uma sala de energia, onde fica o gerador do prédio. Os homens tiveram seus celulares e comunicadores tomados e só foram encontrados de manhã, quando a outra equipe assumiria o plantão. O DVR, aparelho que faz parte do circuito interno de monitoramento por câmeras, também foi levado pelos bandidos.

A ocorrência foi registrada na Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR).

(DOL)

Gestão Doria tem aprovação de 32% e reprovação de 26%, diz pesquisa Datafolha

8 de outubro de 2017 at 10:04

Índice dos que consideram a administração do prefeito regular foi de 40%. Pesquisa ouviu 1.092 nos dias 4 e 5 de outubro.

Por G1 SP, São Paulo

esquisa do Datafolha divulgada neste domingo (8) pelo jornal “Folha de S.Paulo” mostrou os seguintes percentuais de avaliação da gestão do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB):

– Ótimo/bom: 32%

– Regular: 40%

– Ruim/péssimo: 26%

– Não sabe: 2%

O levantamento do Datafolha foi realizado nos dias 4 e 5 de outubro. Foram ouvidas 1.092 pessoas com 16 anos ou mais na cidade de São Paulo. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

O percentual de pessoas que rejeitam a sua administração foi de 22% em junho para 26% agora, e os que a aprovam foi de 41% para 32%. Outros 40% consideram que o governo de Doria é regular.

De acordo com a pesquisa, para 37% da população, o prefeito será candidato a presidente. Em junho, 21% achavam isso.

Apesar disso, 58% preferem que ele permaneça na prefeitura de São Paulo, contra 10% que querem vê-lo na disputa pela presidência ou 15% na disputa do governo paulista.

Mas segundo o Datafolha, 55% não votariam em Doria para ser presidente. Em eventual candidatura para governador, 47% não votariam nele.

Para 45% dos eleitores da cidade de São Paulo, quem deveria ser o candidato tucano ao Planalto é o atual governador Geraldo Alckmin. Outros 31% preferem o prefeito Doria.

Ainda de acordo com o Datafolha, para 49% dos entrevistados, as viagens de Doria pelo país trazem mais prejuízos do que benefícios à São Paulo, enquanto 35% aprovam essa iniciativa do prefeito, entendendo que elas beneficiam a cidade.

Ainda há 77% que veem benefício pessoal de Doria nas viagens contra 14% que enxergam o contrário. Metade das pessoas ouvidas acha que o prefeito viaja mais do que devia, enquanto 40% apontam que a frequência é adequada.

Entre os problemas apontados pelos eleitores na administração de Doria em São Paulo, estão as constantes falhas nos semáforos da cidade. Para 50% dos entrevistados, o sistema é ruim ou péssimo.

Na cidade como um todo, outros dados da pesquisa mostram que 64% acreditam que o prefeito fez menos do que poderia, contra 53% em junho e 39% em seu primeiro mês na administração.

Barbalho no jornal dos Maiorana

8 de outubro de 2017 at 09:46

 

Pela primeira vez em muito tempo, O Liberal citou os nomes e publicou uma foto de Jader e Helder Barbalho sem criticá-los. Os dois apareceram em uma página da edição de hoje do jornal dos Maiorana que noticiou, com destaque, a transferência à arquidiocese de Belém de uma área de domínio da União ao lado da basílica de Nazaré, ontem, em Belém, pelo presidente Michel Temer. Helder foi citado como ministro da Integração Nacional e Jader como senador. Além disso, apareceram numa das fotos, ao lado de Temer e dos ministros da Defesa e do Planejamento. Pelo padrão dos últimos anos, teriam sido completamente omitidos, no texto e na ilustração da notícia, se não fossem criticados.

É a Glasnot dos cinco irmãos Maiorana que destronaram Romulo Jr. do comando das empresas? Para se consolidarem na posição, estabelecerão uma política de convivência com seus concorrentes comerciais, adversários políticos e inimigos pessoais? Com isso, esperam acabar de vez com a era “Rominho” nos veículos de comunicação da empresa?

O futuro responderá.

Ladrão se cobre com toalha de mesa e rasteja para levar dinheiro de restaurante

7 de outubro de 2017 at 16:03

Ladrão se cobre com toalha de mesa e rasteja para levar dinheiro de restaurante (Foto: )

Um ladrão se cobriu com uma toalha de mesa e rastejou para levar o dinheiro de um restaurante que fica no Centro de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. A ação foi registrada pelas câmeras de segurança do estabelecimento.

O caso aconteceu na quinta-feira (5), mas as imagens só foram divulgadas neste sábado (7).

O homem sobe a rampa que dá acesso ao restaurante com uma toalha de mesa nas costas. Perto da entrada ele senta e espera um pouco. Logo depois, levanta, abre a porta e entra. Já dentro do restaurante, ele começa a arrastar-se pelo chão, coberto pela toalha.

O ladrão segue até o caixa, pega o dinheiro e começa a sair, dessa vez abaixado, ainda usando a toalha.

No entanto, antes de chegar à porta, o alarme da empresa dispara. Ele sai correndo e deixa para trás um ventilador que também estava levando.Do lado de fora, ele tira a toalha e sai caminhando.

O dono do restaurante disse que essa já é a quarta vez que o local é furtado, somente em 2017.

Com informações r7.

 

Cabeça e pernas de jornalista morta em submarino são achadas

7 de outubro de 2017 at 13:04

Cabeça e pernas de jornalista morta em submarino são achadas (Foto: Reprodução)

A jornalista Kim Waal, morta após embarcar em um submarino de um inventor dinamarquês (Foto: Reprodução)

A polícia dinamarquesa anunciou neste sábado (7) a descoberta da cabeça e das pernas da jornalista sueca Kim Wall. Ela desapareceu em 10 de agosto a bordo de um submarino projetado por um inventor, Peter Madsen, que ela viajou para entrevistar.
Mergulhadores encontraram os membros na sexta-feira (6) na baía de Køge, cerca de 50 km ao sul de Copenhague, informou o inspetor Jens Moller Jensen.
“Na noite passada, nosso legista confirmou que se trata da cabeça de Kim Wall”, declarou.
Segundo ele, um primeiro saco foi encontrado com as roupas da repórter de 30 anos. “No mesmo saco havia uma faca e tubos de chumbo para fazer peso”, explicou. As duas pernas foram encontradas pouco depois, bem como “uma cabeça que também estava num saco, com várias peças de metal”.
Em 21 de agosto o torso de Kim Wall, cujos membros foram “deliberadamente seccionados”, segundo a necropsia, foi encontrado na baía de Køge, onze dias após o desaparecimento da jornalista.
“NENHUM SINAL DE FRATURA”
O inspetor Jensen ressaltou que não foram encontrados “qualquer sinal de fratura no crânio nem qualquer outro sinal de violência brutal no crânio”.
Detido desde 11 de agosto e indiciado por assassinato e atentado à integridade de um cadáver, Peter Madsen, de 46 anos e casado, se diz inocente apesar de todas as evidências.
Kim Wall era uma jornalista freelancer que trabalhava entre Nova York e a China. Ela embarcou em 10 de agosto no submarino Nautilus, ao lado do inventor Peter Madsen, para fazer uma reportagem.
Seu namorado denunciou o desaparecimento em 11 de agosto. No mesmo dia, Madsen foi resgatado pelas autoridades dinamarquesas em Öresund, entre a costa da Dinamarca e da Suécia, antes do naufrágio do submarino.
A polícia acredita que o inventor provocou o naufrágio do Nautilus de modo deliberado. A embarcação foi erguida à superfície e examinada pela perícia.
Em um primeiro momento, Madsen afirmou que a jornalista havia desembarcado na ilha de Refshaleoen, em Copenhague, na noite de 10 de agosto.
Depois de ser detido, ele mudou sua versão e afirmou que Wall havia falecido em um “acidente” e que ele jogou o corpo no mar, na baía de Køge.
Segundo esta versão, ele subiu na ponte, segurando a porta da escotilha de acesso à torre em que Kim Wall estava de pé. Ao escorregar de repente, ele soltou a escotilha de 70 kg que caiu na cabeça da jovem.
De acordo com seu relato, o corpo do jornalista estava intacto quando o jogou no mar.
A acusação alega que Madsen matou Kim Wall para satisfazer uma fantasia sexual, depois desmembrou e mutilou seu corpo.
A necrópsia do torso não estabeleceu as causas da morte. Por outro lado, revelou mutilações múltiplas infligidas na genitália da vítima.
MULHERES DECAPITADAS
Filmes “fetichistas” em que mulheres “reais” eram torturadas, decapitadas e queimadas foram encontrados em um disco rígido em seu estúdio, segundo anunciou na terça-feira a Procuradoria dinamarquesa.
“Este disco rígido não me pertence”, reagiu Peter Madsen, sugerindo que muitas pessoas tinham acesso ao estúdio.
Ele assegurou que não houve relações sexuais entre eles e que seus contatos foram puramente profissionais.
Madsen foi acusado em um primeiro momento de homicídio por negligência, antes de ter a acusação reclassificada no dia 5 de setembro para assassinato e ataque à integridade de um cadáver.
A jornalista colaborou com o “Guardian” e o “New York Times” e era graduada pela Escola Superior de Jornalismo da Universidade de Columbia.
O Nautilus foi inaugurado em 2008. Com 18 metros de extensão, era naquele momento o maior submarino privado do mundo.

Fonte: FolhaPress

Mulher sofre tentativa de estupro dentro de ônibus na Cremação; suspeito é espancado

7 de outubro de 2017 at 11:09

Mulher sofre tentativa de estupro dentro de ônibus na Cremação; suspeito é espancado (Foto: Via Whatsapp)

Vítima não se intimidou com as ameaças do suspeito e acionou outras pessoas que estavam no veículo. (Foto: Via Whatsapp)

Uma mulher, que não teve a identidade divulgada, sofreu uma tentativa de estupro dentro de um ônibus que trafegava neste sábado (7) pela avenida Conselheiro Furtado com a travessa 14 de Março, no bairro da Cremação, em Belém.

O Centro Integrado de Operações (Ciop) da Polícia Militar informou que a vítima foi ameaçada pelo suspeito, mas conseguiu avisar e pedir ajuda a outras pessoas que estavam dentro do veículo.

Antes da chegada da polícia, o suspeito foi espancado pelos passageiros e por populares revoltados com a situação, disse a PM.

O suspeito foi conduzido para a seccional de São Brás.

DOL entrou em contato com a Polícia Civil e aguarda mais detalhes sobre a ocorrência.

Após um ano de negociações, propostas essenciais da reforma política ficam pelo caminho; saiba quais

7 de outubro de 2017 at 10:06

Congresso aprovou fundo com recursos públicos para financiar campanhas e cláusula de barreira. Por outro lado, parlamentares rejeitaram pontos como a mudança no sistema eleitoral.

Por Fernanda Calgaro e Bernardo Caram, G1, Brasília

    Reforma Política - Novas Regras para eleição de 2018

Reforma Política – Novas Regras para eleição de 2018

Ao final da discussão, os parlamentares aprovaram apenas uma parcela do que foi discutido, como a criação de um fundo eleitoral com recursos públicos para bancar as campanhas.

Vários pontos ficaram pelo caminho, como sugestões para mudar as datas de posse e acabar com os cargos de vice.

Os deputados chegaram a aprovar o fim das coligações proporcionais para eleição de cargos legislativos.

Inicialmente, a medida valeria já para 2018, mas eles recuaram e empurraram a implementação da nova regra para a partir de 2020.

Com isso, em 2018, as eleições não mudam: permanece o sistema proporcional de lista aberta para a escolha de deputados federais e estaduais.

Nesse sistema, o eleitor pode votar no candidato ou no partido. As legendas poderão formar alianças e as cadeiras serão distribuídas depois de um cálculo (quociente eleitoral) que leva em consideração o número de votos obtidos pela sigla ou coligação.

Nos últimos dez anos, o Congresso Nacional fez pelo menos cinco tentativas de aprovar uma ampla reforma política, mas sem sucesso em nenhuma delas.

Veja o que ficou pelo caminho e não entrou na reforma política aprovada pelos parlamentares:

Sistema eleitoral

Foram discutidos vários modelos para a escolha dos deputados federais e estaduais e vereadores:

  • Voto em lista fechada – O eleitor vota em uma lista pré-definida pelo partido com os nomes dos candidatos elencados por ordem de prioridade. Há uma distribuição das vagas entre as siglas de acordo com o número de votos e são eleitos os primeiros da lista.
  • Distritão – Cada estado e município é considerado um distrito. O eleitor vota só no candidato. São eleitos os mais votados.
  • Distrital misto – É uma mistura da lista fechada com o distritão. O eleitor vota duas vezes. Uma nos candidatos do distrito e outra nas listas fechadas pelos partidos. A metade das vagas, portanto, iria para os candidatos mais votados. A outra seria preenchida conforme o quociente eleitoral pelos candidatos da lista partidária.
  • Distritão misto ou semidistritão – Cada estado e município é considerado um distrito. O eleitor pode votar no candidato ou na legenda. Os votos recebidos pelos partidos seriam distribuídos entre os candidatos. Seriam eleitos os mais votados.

Federações

A ideia era criar uma alternativa às coligações, que vão ser proibidas a partir das eleições de 2020. A proposta era que os partidos poderiam formar alianças na campanha eleitoral, mas não poderiam ser desfeitas em seguida e as legendas teriam que atuar juntos durante os quatro anos do mandato parlamentar.

Fim dos vices

Proposta acabava com os cargos de vice para prefeito, governador e presidente.

Fim do suplente de senador

A intenção era acabar com os cargos suplentes de senador. Quando o titular saísse, assumiria o deputado mais votado do partido.

‘Emenda Lula’

Proposta de emenda à Constituição aumentava para até oito meses a proibição para que candidatos fossem presos antes das eleições.

Hoje, a lei diz que 15 dias antes das eleições candidatos não poderão ser detidos ou presos, salvo o caso de flagrante delito.

A sugestão foi apelidada de “emenda Lula” por adversários do PT porque a medida beneficiaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva caso houvesse uma condenação do político em segunda instância.

Doações ocultas

O doador teria o direito de pedir que a sua identidade não fosse divulgada. A exceção seria para os casos de prestação de contas e fiscalização dos órgãos de controle e do Ministério Público.

Bingo para custear campanha

Proposta autorizava os partidos a realizarem sorteios, bingos, rifas e loterias para financiar campanhas

Limite para mandatos do Judiciário

Estabelecia mandato de dez anos para ministros de tribunais superiores, como o Supremo Tribunal Federal (STF). Hoje, os ministros têm que se aposentar obrigatoriamente aos 75 anos.

Vacância da presidência

No caso de vacância do cargo de presidente da República, seria feita eleição 90 dias após a vaga aberta. Se a vacância ocorresse no último ano do mandato presidencial, seria feita eleição indireta, pelo Congresso, até 30 dias após a abertura da vaga.

 Posse

As datas das posses dos eleitos passariam do dia 1º de janeiro para 6 de janeiro (governadores e prefeitos) e 7 de janeiro (presidente da República).

Imunidade do presidente da República

Proposta era estender aos presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF) a imunidade garantida ao presidente da República. Pela Constituição, o presidente não pode ser investigado por crime cometido fora do mandato.

Antecipação da janela partidária

Antes do prazo oficial de seis meses antes da eleição, seria aberta uma nova janela partidária para que os deputados pudessem mudar de partido sem serem punidos com a perda de mandato, em dezembro.

Gravação mostra suposto acerto de propina entre Joesley e ministro

7 de outubro de 2017 at 09:59

Dono da JBS disse em delação que acertou repasse de R$ 6 milhões em propina a Marcos Pereira, ministro da Indústria e Comércio Exterior.

Por G1

Joesley apresenta conversa gravada por ele com ministro do Desenvolvimento

Joesley apresenta conversa gravada por ele com ministro do Desenvolvimento

Em nota, o ministro disse que não fará comentários sobre “pretensas gravações ilícitas” e que seus advogados já manifestaram ao STF sua intenção de “aclarar os fatos” e “mostrar sua inocência”.

“Os fatos que envolvem sua relação com Joesley Batista serão devidamente esclarecidos quando lhe for dada oportunidade de falar perante autoridade interessada na verdade, de maneira imparcial”, afirma a nota.

Segundo Joesley, o ministro pegou R$ 700 mil num encontro na casa do empresário. A entrega desse dinheiro ocorreu, de acordo com Joesley, no dia 24 de março.

Joesley está preso por omitir informações e pode perder os beneficios do acordo. Mas as provas apresentadas por eles continuam válidas.

A conversa gravada

Na conversa Joesley fala de dinheiro com o ministro Marcos Pereira. Ao longo da conversa, o ministro evita associar números a dinheiro.

Joesley: Deixa eu te falar, aqui, você lembra? Eu não lembro mais a conta… Como que era?

Marcos Pereira: Meia, cinco, zero…

Joesley: Como que era? Não…

Joesley: Quanto era o saldo? Não lembro mais…

Marcos Pereira: Da última vez…

Marcos Pereira: Ah, pera, não sei…

Joesley: Meia, cinco, zero… Ah…

Na conversa eles falam de valores maiores e o próprio ministro cita números:

Joesley: Dividido por 3? Um setecentos e trinta divido por três.

Marcos Pereira: Cino, sete, meia…

Joesley: Mais umas três vezes nós mata essa p…

Marcos Pereira: Pode ficar tranquilo

Marcos Pereira: Imagino

Joesley: Cara, o fluxo caiu. A lojinha tá vendendo menos. E eu agora só tô pegando as lojinhas nossas, né?