Popular Tags:

Ministro deixa neutralidade para apoiar José Priante contra Lúcio Vieira Lima

31 de janeiro de 2017 at 15:53

Problemas entre Picciani e Lúcio estão na origem da decisão

O ministro Leonardo Picciani saiu de uma firma fantasma (Foto: Adriano Machado / Reuters)

Leonardo Picciani, ministro do Esporte (Foto: Adriano Machado / Reuters)

Neutro até a semana passada, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, decidiu apoiar o deputado federal José Priante (PMDB-PA) na disputa pela vice-presidência da Câmara dos Deputados. Ficou acordado que a vaga será do PMDB na chapa de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Picciani teme que Priante perca a corrida para Lúcio Vieira Lima(PMDB-BA). Picciani e Lúcio acumularam rusgas quando Picciani liderou o partido na Câmara. Um aliado de Picciani diz que o ministro não perdoa, também, as articulações de Geddel Vieira Lima, irmão de Lúcio e ex-ministro da Secretaria de Governo, contra ele (Picciani).

PMDB deve anunciar apoio a Maia nesta terça-feira

31 de janeiro de 2017 at 10:22

Legenda quer integrar bloco para conseguir a primeira vice-presidência da Câmara

por Leticia Fernandes

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia – Givaldo Barbosa / Agência O Globo

BRASÍLIA – A bancada do PMDB na Câmara deve anunciar formalmente nesta terça-feira o apoio à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Casa. Apesar dos apelos dos demais candidatos da base, vindos sobretudo do líder do PTB, Jovair Arantes (GO), correligionários do presidente Michel Temer dizem ser inevitável seguir ao lado de Maia. O que está em jogo é o segundo cargo mais importante da Mesa Diretora, a primeira vice-presidência da Casa, hoje ocupada pelo polêmico Waldir Maranhão (PP-MA), e que deve ficar nas mãos do PMDB.
Com a ideia de Maia de formar um amplo bloco de partidos que o apoiam, a legenda “não tem opção”, dizem deputados, e terá que integrar o bloco para conseguir o cargo desejado. Nesta terça-feira, uma reunião da bancada definirá o nome para a primeira vice – os favoritos são Lucio Vieira Lima (BA) e José Priante (PA) – e deve selar o apoio a Rodrigo Maia.

Um peemedebista com bom trânsito no Palácio do Planalto disse que, por mais que Temer quisesse que o seu partido não entrasse no bloco para atender aos outros candidatos da base, o partido será obrigado a fazê-lo:

– Se a gente não formar o bloco com Rodrigo a gente perde a escolha da primeira vice-presidência, não é questão de opção porque não temos opção. Por mais que o PMDB queira atender o presidente, não vai dar dessa vez – disse esse deputado.

Um outro correligionário de Temer minimizou possíveis rachas na base que lhe dá sustentação no Congresso. O temor é que Jovair ou Rogério Rosso (PSD-DF) possam dificultar a aprovação de matérias prioritárias para o governo, entre elas a reforma da Previdência, se sentirem interferência do Planalto para reeleger Rodrigo Maia.

– Claro que o governo tem que trabalhar pelo desgaste mínimo na base. Mas você acha que o Jovair vai sair rachado, se perder, e ainda vai fazer fratura exposta? Não dá, não vai ter racha, não – opinou um peemedebista:

– Ganhar e perder é do jogo, os candidatos sempre vão achar que teve interferência do governo. O que importa é o day after (da eleição), aí o governo faz um afago e rediscute espaços – concluiu.

Eike é preso pela Polícia Federal após desembarcar no Rio

30 de janeiro de 2017 at 10:35

 

O empresário Eike Batista foi preso pela Polícia Federal nesta segunda (30) no aeroporto do Galeão, no Rio, logo após de desembarcar de um voo que o trazia de Nova York. Ele era considerado foragido.

Eike desceu na pista do terminal dois e foi levado de carro pelos policiais para o IML (Instituto Médico Legal), onde fez exames antes de ser preso por cerca de meia hora, até as 11h. Ele chegou por volta das 11h20 ao presídio onde ficará detido: Ary Franco, em Água Santa, na zona norte da cidade.

Renata Cafardo
Nova Iorque 29.01.2017 O empresario Eike Batista procurado pela Policia Federal por conta da Operacao Eficiência embarca no aeroporto de Nova Iorque rumo ao Brasil. Foto: Renata Cafardo ****EXCLUSIVO FOLHA****
O empresário Eike Batista embarca para o Brasil no aeroporto JFK, em Nova York

No sábado (28), a Folha informou que ele pretendia se entregar à Justiça, mas tinha medo de ser levado a uma penitenciária comum por não ter curso superior.

Eike Batista embarcou na noite de domingo (29) no aeroporto JFK, em Nova York, por volta das 21h45 (horário de Brasília). No caminho até o local de embarque, questionado pela reportagem se iria se entregar, apenas sorriu.

Ao programa “Fantástico” (Globo) Eike afirmou, já na área de embarque, que responderá “à Justiça, como é o meu dever”. “Meu sentimento é que tem que se mostrar o que é. Está na hora de passar as coisas a limpo.”

Questionado pela equipe da emissora se iria fazer delações, o empresário disse que iria esperar estar diante da Justiça. Ele afirmou ainda que nunca pensou em fugir para a Alemanha —Eike tem dupla nacionalidade. “Sempre venho a Nova York a negócios.”

ALVO

Eike foi o principal alvo da Operação Eficiência, deflagrada pela Polícia Federal, na quinta-feira (26).

Quando a ação estourou, ele estava fora do país e foi considerado foragido pela Justiça, procurado pela Interpol (Polícia Internacional). Seus advogados negaram, na ocasião, que ele tivesse fugido.

Ele teve a prisão decretada depois que dois doleiros fizeram acordos de delação com a Operação Lava Jato no Rio e contaram que ele pagou US$ 16,5 milhões de propina ao ex-governador do Rio Sergio Cabral, que está preso.

Antes de embarcar de volta ao Brasil, neste domingo, o empresário caminhou tranquilamente pelo terminal 8 do JFK. Chegou a conversar e tirar selfies com brasileiros que estavam no aeroporto.

Ele carregava apenas uma mala de mão e não enfrentou filas para fazer o check in. A cada pergunta feita pela reportagem, respondia apenas com sorrisos.

Francesa é eleita Miss Universo 2016; Miss Brasil fica em top 13

30 de janeiro de 2017 at 05:42

Reprodução/Band

29.jan.2017 – A francesa Iris Mittaenare foi coroada a Miss Universo 2016.

Do UOL, em São Paulo

A final da 65ª edição do Miss Universo foi realizada na noite deste domingo (29) em Manila, nas Filipinas (sim, trata-se da edição de 2016 em 2017 mesmo), e teve a Miss França, Iris Mittenaere, como vencedora, eleita a mais bela do mundo. Em segundo e terceiro lugares ficaram Raquel Pelissier (Miss Haiti) e Andrea Tovar (Miss Colômbia), respectivamente. Trata-se da primeira europeia a vestir a coroa desde 1990, quando Mona Grudt, da Noruega, venceu o concurso.

O destaque nas redes sociais foi para a canadense Siera Bearchell. Belíssima, carismática e curvilínea, a miss ganhou a torcida de grande parte do público brasileiro após a desclassificação de Raissa Santana. A representatividade da mulher cujo corpo foge da ditadura da magreza tão comum em concursos de beleza gerou elogios e acabou resultando em polêmica, uma vez que os apresentadores da transmissão da Band deram a entender que a modelo não pertencia ao ambiente.

Brasil de fora
Raissa Santana foi eliminada na seleção do Top 9 durante a competição. Ela era uma das mais cotadas para figurar entre as três finalistas por diversos especialistas, mas acabou ficando entre as 13 primeiras. Estudante de marketing, Raissa tem 21 anos e foi a primeira negra a representar o Brasil na competição em três décadas, sucedendo a gaúcha Deise Nunes que levou o título nacional em 1986.

Nascida em Itaberaba, na Bahia, migrou para São Paulo quando tinha apenas um ano de idade. Por aqui, viveu durante cinco anos, quando sua mãe, após diversas tentativas de melhoria das condições de vida trabalhando como empregada doméstica, resolveu se juntar ao restante dos parentes que moravam em Umuarama, no Paraná. Fixaram-se e foi por lá que venceu o concurso municipal que iniciou sua escalada nas competições de beleza até chegar ao evento mundial.

Em entrevista ao UOL em dezembro passado, ela contou que sofreu bullying quando mais nova. “Me zoavam por ser feia, desengonçada”, conta. “Eu era uma negra com cabelo cacheado… Hoje eu tenho essa maturidade para entender que havia preconceito racial velado.”

Apresentador piadista
Novamente comandando o evento, Steve Harvey souber rir de si mesmo. Em dezembro de 2015 virou meme na internet depois do climão por ter anunciado Miss Colômbia como vencedora, quando a campeã era a Miss Filipinas Pia Alonzo Wurtzbach. “Paguei meus pecados pelo ano passado, quando a gente erra o negócio é seguir em frente. Fiz uma cirurgia nos meus olhos, então quando chegar o cartão conseguirei ler direito”, brincou logo nos primeiros minutos com o microfone em mãos.

Após a apresentação das 86 candidatas, Pia foi a primeira convidada ao palco para falar sobre a importância do título em sua vida, a transformações pessoais consequentes dos trabalhos sociais que realizou no último ano e o novo contrato com a agência de modelos internacional IMG. Logo no início de sua participação, imagens da confusão do ano passado foram transmitidas no telão. Harvey não perdeu a piada. “Em defesa, não foi minha ideia reprisar o que aconteceu”, disse, sendo sucedido pelas risadas da plateia. “Como foi ser vice por 28 segundos?”, perguntou.

Pia, claro, entrou na brincadeira e agradeceu a Harvey por ter se tornado a Miss Universo mais famosa. “E eu que te agradeço por ter me tornado um apresentador também bastante famoso”, completou ele. Ao final, investiu em um par de óculos “fundo de garrafa” para evitar que qualquer confusão se repetisse no anúncio da nova Miss Universo.

Internautas lamentam a derrota da brasileira
A torcida estava grande na internet e diversas pessoas postaram seus lamentos sobre a desclassificação de Raissa.

Delação causa rompimento entre Marcelo e Emílio Odebrecht

30 de janeiro de 2017 at 05:32

Flávio Costa, Leandro Prazeres e Vinicius Konchinski

Do UOL

Arte/UOL

Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo empresarial Odebrecht, e seu pai, Emílio, presidente do Conselho de Administração do conglomerado

Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo empresarial Odebrecht, e seu pai, Emílio, presidente do Conselho de Administração do conglomerado

O acordo de delação premiada da Odebrecht causou o rompimento das relações entre o ex-presidente e herdeiro do grupo empresarial, Marcelo Odebrecht, e seu pai, Emílio, presidente do Conselho de Administração do conglomerado. A informação foi confirmada ao UOL por cinco pessoas ligadas à Operação Lava Jato ou à Odebrecht, sob a condição de terem suas identidades preservadas.

“Marcelo sente-se injustiçado. Ele se vê como um bode expiatório. Acha que pagará o preço mais alto entre todos os envolvidos na Lava Jato também porque seu pai aceitou delatá-lo”, afirmou ao UOL um funcionário de alto escalão da Odebrecht.

“Marcelo pagava mesmo propina e, de certa forma, desafiava as autoridades que poderiam o incriminar. Emílio, por sua vez, era mais conservador. Cometeu e sabia de ilegalidades, mas era mais contido”, acrescentou.

Na última sexta-feira (27), Marcelo Odebrecht ratificou a um juiz auxiliar do STF (Supremo Tribunal Federal) o depoimento feito a procuradores da operação e confirmou os termos de seu acordo de delação premiada.

Colaborar com os investigadores foi uma derrota pessoal de Marcelo e uma vitória de seu pai, além de abrir a crise de relacionamento entre os dois protagonistas do clã baiano de origem germânica. Nos primeiros meses após sua prisão –ocorrida em junho de 2015, durante a 14ª fase da operação–, o executivo insistia em negar as acusações e rejeitava aderir a um acordo. Emílio, por sua vez, decidiu rapidamente pela delação como forma de preservar a empresa.

Grupo de Emilio versus grupo de Marcelo

Na primeira visita que fez a Marcelo na prisão em Curitiba, em setembro de 2015, Emílio o sugeriu que optasse por delatar, hipótese repelida pelo filho, como revelou a revista “Piauí”. Marcelo está detido na carceragem da sede da Polícia Federal em Curitiba. “Em determinado momento, ele reclamou de que o pai não aparecia para visita-lo”, disse um investigador da Lava Jato.

“Este assunto [a delação] estremeceu a relação entre ambos. Havia dois grupos na empresa: o de Marcelo, que não queria a delação de jeito nenhum, e o de Emílio, que achava a delação a melhor saída”, disse um membro do Conselho de Administração da Odebrecht. “Venceu a tese de Emílio.”

A descoberta pela Polícia Federal do setor de “operações estruturadas”, responsável pela sistematização do pagamento de propinas, em março de 2016, e a crise financeira que atingiu o grupo aumentaram a pressão sobre Marcelo.

Emílio tomou a iniciativa de procurar um acordo com as autoridades. Em maio de 2016, a empresa firmou o termo de confidencialidade, o que deu início às negociações para as delações premiadas, que estão a um passo de serem homologadas pela presidente do STF, ministra Carmen Lúcia. Todos os 77 delatores ligados à empresa ratificaram seus depoimentos à Justiça até sexta-feira.

“Nunca foram exatamente alinhados”

“A referência de Marcelo sempre foi Norberto. Ele e o pai nunca foram muitos próximos. Eles têm personalidades diferentes. Emílio é extrovertido, Marcelo, o contrário”, afirmou uma pessoa de Salvador próxima à família, em referência ao patriarca Norberto Odebrecht (1920-2014).

“Emílio e Marcelo nunca foram exatamente alinhados. O filho sempre foi conhecido por seu estilo agressivo nos negócios e até na corrupção”, diz o funcionário da Odebrecht.

A título de exemplo, o ex-executivo Claudio Melo Filho disse, em sua delação premiada, que a Odebrecht passou a atuar com mais intensidade no pagamento de propinas a deputados e senadores para a aprovação de medidas provisórias após a chegada de Marcelo à presidência do grupo.

“A partir de 2009 e 2010, as MPs passaram a ter mais valor para a empresa, justamente por causa da saída de Pedro Novis e da entrada de Marcelo Odebrecht na diretoria da Odebrecht”, afirma Melo Filho em sua delação.

Conhecido no meio empresarial e político como “Príncipe”, Marcelo Odebrecht assumiu em dezembro de 2008 a presidência do conglomerado de empresas que leva o nome de sua família. Ele deixou o cargo em dezembro de 2015, seis meses depois de ser preso.

“Marcelo praticamente forçou Emílio a aceitar que ele assumisse a presidência quatro anos antes do que estava previsto. Marcelo queria mostrar ao pai que era capaz de comandar a empresa”, afirmou o membro do conselho da Odebrecht.

“Mãe deixou de visitar Marcelo na prisão”

O rompimento entre pai e o filho envolveu os integrantes da família Odebrecht.

“A coisa ficou tão feia que a mãe deixou de visitar Marcelo na prisão”, afirmou um outro investigador da Lava Jato.

“A mulher não foi às festas de fim de ano da família, como era tradição”, afirmou o funcionário da Odebrecht.

Grupo não terá membros da família Odebrecht entre os gestores

De acordo com o jornal “Folha de S. Paulo”, os advogados da Odebrecht e o MPF fecharam um acordo para que o herdeiro da construtora permaneça preso em regime fechado até dezembro de 2017. Após essa data, ele cumprirá o restante de sua pena de dez anos em regimes semiaberto e aberto. Ele não poderá trabalhar mais nas empresas de sua família.

Já Emílio Odebrecht permanecerá ainda dois anos à frente do conselho de administração da Odebrecht, como prevê seu acordo de delação premiada. Durante o intervalo ele comandará a transição de poder dentro do grupo, que não contará mais com membros da família Odebrecht entre os gestores. A família passará apenas a ser investidora e o grupo abrirá suas ações ao mercado — ideia que sempre teve a rejeição de Marcelo.

Após esses dois anos, Emílio passará a cumprir sua pena acordada com o Ministério Público Federal. Ele vai cumprir dois anos de prisão domiciliar em regime semiaberto. Neste período, ele precisará estar em casa das 22h às 6h e durante os finais de semana. Depois disso, Emílio cumprirá outros dois anos em um regime aberto domiciliar, no qual precisará a se recolher somente durante o fim de semana.

No último dia 1 de dezembro, a Odebrecht também divulgou um pedido de desculpas público e admitiu práticas impróprias. Procurada pela reportagem, o grupo empresarial afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre o assunto do rompimento entre Marcelo e Emilio.

Autoridades esperam que Eike Batista se entregue nesta segunda 80

29 de janeiro de 2017 at 21:24

Estadão Conteúdo

Danilo Verpa/Folhapress

Eike Batista e governador Sérgio Cabral Filho, em imagem de 2013

Eike Batista e governador Sérgio Cabral Filho, em imagem de 2013

Os advogados de Eike Batista informaram a autoridades que o empresário irá se entregar nesta segunda-feira (30), de acordo com fonte próxima às discussões. A promessa teria sido feita por escrito, mas ainda há dúvidas se será cumprida.

Eike teve a prisão decretada nesta quinta-feira, na Operação Eficiência, desdobramento da Lava Jato que apura esquema usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB) e outros investigados para ocultar mais de US$ 100 milhões remetidos ao exterior. Desse valor, repassado em ações da Vale, da Petrobras e da Ambev, apenas 10% já foi recuperado pelo Ministério Público Federal.

Também com cidadania alemã, o empresário está foragido desde quinta-feira, 26. Segundo seus advogados, ele está no exterior, enquanto dados da Polícia Federal apontam que ele embarcou em um voo para Nova York utilizando seu passaporte alemão. Caso seja encontrado em território germânico, sua extradição será definida pela Justiça do país.

Além disso, se o empresário decidir se entregar à polícia, ainda não está definido o tipo de unidade prisional para qual será encaminhado, pois há imprecisões sobre a sua formação educacional. Em livro publicado em 2011, o ex-bilionário diz que interrompeu a faculdade de Engenharia na Alemanha “ainda na metade” do curso.

Já o prospecto da Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) da petroleira que fundou, a OGX, traz a informação que ele era “bacharel em Engenharia Metalúrgica pela Universidade de Aachen, Alemanha”.

Se ele não comprovar que possui ensino superior, terá que aguardar julgamento em uma cela comum. Detentos com diploma são encaminhados para unidades restritas aos que têm ensino superior.

Os advogados de Eike e a Polícia Federal (PF) foram procurados pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, mas não retornaram as ligações da reportagem.

A cinco dias da eleição na Câmara, nove partidos já anunciaram apoio a Maia

29 de janeiro de 2017 at 02:27
O deputado Rodrigo Maia, durante sessão da Câmara em julho do ano passado (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo) O deputado Rodrigo Maia, durante sessão da Câmara em julho do ano passado (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

O deputado Rodrigo Maia, durante sessão da Câmara em julho do ano passado (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

A cinco dias da eleição que vai definir a nova mesa diretora da Câmara, nove partidos já anunciaram apoio à reeleição do atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Somadas, as bancadas dessas nove legendas contam com 266 parlamentares, mais da metade da Casa (257).

Até a noite desta sexta (27), os seguintes partidos haviam anunciado apoio a Maia: PV, PP, PRB, PSD, PR, PSB, PHS, PSDB e DEM.

Rodrigo Maia assumiu a presidência da Câmara para um mandato-tampão em julho do ano passado, após o então presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ter renunciado ao posto. Na ocasião, o parlamentar do DEM derrotou no segundo turno o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), que tinha o apoio do Palácio do Planalto.

Embora falte menos de uma semana para a votação que definirá o novo presidente da Câmara, Maia ainda não oficializou sua candidatura à reeleição.

No entanto, o deputado do DEM aproveitou o recesso parlamentar para fazer uma campanha informal pelo país. Além de viajar para as bases políticas dos colegas de Legislativo, ele tem oferecido jantares a parlamentares.

O fato de os partidos terem anunciado apoio à reeleição não significa que todos os deputados dessas legendas são obrigados a votar em Maia.

Para ser eleito, um candidato à presidência da Câmara precisa obter a maioria dos votos, desde que estajam presentes à sessão, pelo menos, 257 dos 513 deputados. A eleição é secreta e está marcada para 2 de fevereiro.

Em 2015, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – que foi preso após ter o mandato cassado pela Câmara – foi eleito para o comando da Casa no primeiro turno, com 257 votos.

Os candidatos

Além de Maia, estão na corrida pela presidência da Câmara os deputados Jovair Arantes (PTB-GO) e André Figueiredo (PDT-CE). As candidaturas, porém, só são registradas no dia da eleição, portanto, podem surgir novos candidatos até a última hora.

Rogério Rosso também chegou a lançar candidatura, mas, sem o apoio da própria bancada, ele anunciou nesta semana que iria suspender a campanha até que o Supremo Tribunal Federal analisasse se a candidatura de Maia é constitucional.

Ações na Justiça

Os adversários do atual presidente da Câmara argumentam que o regimento interno da Casa impede a reeleição na mesma legislatura (a atual termina somente em 2018).

Aliados do atual presidente da Câmara, por outro lado, defendem que o fato de ele ter sido eleito para um “mandato-tampão” de seis meses permitiria que ele disputasse um novo mandato.

Atualmente, há três ações em andamento no STF contra Maia:

Bancadas

Veja abaixo o tamanho das bancadas que já anunciaram apoio a Maia:

PP: 46

PV: 6

PSDB: 48

PSB: 34

PHS: 7

DEM: 28

PSD: 36

PR: 39

PRB: 22

Total: 266

 

Gilmar diz que é ‘lenda urbana’ pedido dele a Cármen Lúcia para assumir Lava Jato

29 de janeiro de 2017 at 02:25
  • Gilmar Mendes é ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

    Gilmar Mendes é ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

  • Fabio Rossi/Agência O Globo – 30.out.2016

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, disse que “é lenda urbana” a versão de que teria pedido à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, para assumir a relatoria da Lava Jato. “Não sei de onde vocês tiraram isso”, rebateu Gilmar, ao ser indagado em São Paulo, na quinta-feira (26), se foi a Cármen para se oferecer à relatoria do mais intrincado e explosivo processo de combate à corrupção no país. Ele participou de um evento do Instituto de Direito Público.

A Lava Jato está sem relator desde quinta-feira (19), quando o ministro Teori Zavascki morreu no avião que caiu no mar de Paraty (RJ) –outras quatro pessoas morreram na queda do bimotor.

O substituto de Teori ainda não foi definido. Cármen Lúcia, a presidente da Corte, vai definir como será escolhido o novo relator. Na quarta-feira (25), Gilmar reuniu-se com Cármen.

“Não existe essa possibilidade de se oferecer [para a relatoria]. Nem é possível. Na verdade é um sistema que terá que ser designado de forma objetiva. E se for designado relator evidente que qualquer um terá que assumir. Não se pode dizer que lá não está. Apenas isso”, comentou o ministro do STF.

Na avaliação de Gilmar, “ninguém deseja ser relator da Lava Jato”. Ele relembrou uma passagem envolvendo os ministros Luís Barroso e Teori Zavascki. Certa vez, Barroso disse a Teori que o país teve “muita sorte” pelo fato de ele assumir a relatoria da Lava Jato. Teori devolveu: “Quem não teve sorte foi eu.”

“Então, a rigor isso tumultua a vida de todos, desorganiza por completo o gabinete que passa a ser concentrado nesse tipo de matéria”, disse Gilmar.

Indagado se indicou o nome do ministro Gandra Filho, do Tribunal Superior do Trabalho, para a vaga de Teori no Supremo, ele ironizou. “Andam sabendo mais do que eu sobre isso”, disse. “Vai ter polêmica sobre qualquer candidato ao Supremo, sempre foi assim. Exatamente acho que isso permite que se faça uma boa seleção.”

“O senhor prefere alguém mais político ou técnico?”, perguntou um jornalista. “Não me cabe escolher e nem sei dizer se tem político ou técnico no tribunal”, foi a resposta de Gilmar.

MEC mantém prazos do Sisu e promete resolver problema de acesso até o fim desta quarta

29 de janeiro de 2017 at 02:23

Caderno de prova do Enem 2016 (Foto: )

O Ministério da Educação (MEC) afirmou que o prazo de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) está mantido apesar dos problemas de acesso para alguns candidatos. De acordo com nota divulgada pelo ministério na tarde desta quarta-feira (25), a edição do primeiro semestre do Sisu terá as inscrições encerradas às 23h59 de sexta-feira (27).

Estudantes temem que a falha prejudique a participação na disputa por vagas em universidades públicas. O total de afetados não foi divulgado. Em nota, o ministério afirmou que as “inconsistências no sistema” disponível no site http://sisu.mec.gov.br/ estão “sendo sanadas” e que “a previsão é que até o fim do dia o sistema volte à normalidade”.

Leia a íntegra da nota:

“1. As inscrições para o SISU estão abertas desde a meia-noite de segunda-feira, 24/01, até às 23h59 da próxima sexta-feira, 27/01;

2. Os candidatos podem se inscrever a qualquer momento dentro desse período;

3. O único critério para a aprovação é a nota do ENEM. Não importa o dia que o candidato faça a inscrição;

4. Até às 13hs desta terça-feira, o sistema recebeu 1.630.265 inscritos e 3.164.643 inscrições. Vale lembrar que cada candidato pode escolher até duas opções de curso;

5. O número de inscritos e inscrições deste ano é similar ao do mesmo período do ano passado, que, até 13h do segundo dia, também recebeu 1,6 milhões de inscritos.

6. De acordo com o edital do SISU, o sistema de seleção é acessível aos candidatos que concluíram o Ensino Médio e prestaram o ENEM tendo obtido nota maior que zero na redação. Dos 6.067.152 que fizeram o ENEM, 880.962 participantes realizaram o exame apenas para autoavaliação (“treineiros”) e 140.294 receberam nota zero na redação. Esses participantes não estão incluídos na base de dados do SISU;

7. Foram identificados cerca de 700 candidatos cujas notas na base de dados do ENEM registravam participação na primeira e também na segunda aplicação do exame. Essas inconsistências já foram corrigidas;

8. Em relação às dificuldades de acesso relatadas por alguns candidatos hoje, tanto da primeira quanto na segunda aplicação, o MEC identificou inconsistências no sistema, que estão sendo sanadas. A previsão é que até o fim do dia o sistema volte à normalidade;

8. Foram registradas, entre ontem e hoje 231.998 mudanças de senha na base do INEP, o que impede o acesso ao SISU temporariamente.

9. O MEC assegura que não haverá prejuízo a nenhum candidato;

10. Os canais de acesso do MEC e do INEP estão prontos para receber qualquer comunicação relativa ao SISU por meio do número 0800 616161 ou pela ouvidoria do MEC no ouvidoria@mec.gov.br.”

Problemas no Sisu

Desde que foram abertas as inscrições, à 0h desta terça-feira (24), muitos estudantes têm tentado, sem sucesso, fazer sua inscrição para disputar uma das mais de 230 mil vagas de graduação em universidades, institutos de tecnologia e centros tecnológicos federais e estaduais em todo o Brasil.

O MEC reconheceu o problema desde o primeiro dia e afirmou que o sistema seria restabelecido. A pasta negou que o problema seja específico dos estudantes que fizeram a segunda aplicação do Enem, nos dias 3 e 4 de dezembro.

O Enem, originalmente aplicado em 5 e 6 de novembro, foi adiado para 273.524 candidatos, por causa de ocupações estudantis nos locais de prova, e para outros 4.133, em decorrência de problemas como falta de energia elétrica. Estes estudantes prestaram o exame em dezembro, em uma segunda versão da prova.

O problema, porém, não é generalizado. De acordo com um balanço parcial divulgado pelo MEC, entre a 0h e as 13h desta quarta, 1.630.265 participantes do Enem 2016 conseguiram se inscrever no Sisu.

Histórico de problemas

O Sisu não foi o único sistema do Ministério da Educação a ter problemas neste ano. Muitos candidatos que fizeram o Enem 2016 também tiveram problemas para acessar a nota. A consulta, que é individual e feita exclusivamente pela internet, deveria ter sido aberta no dia 19 de janeiro, mas acabou sendo antecipada para 18 de janeiro, a pedido do ministro da Educação, Mendonça Filho.

Porém, muitos candidatos só conseguiram ver seus resultados um ou dois dias depois. Boa parte deles eram participantes da segunda aplicação do Enem.

Logo após a divulgação, o site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentou instabilidade. Alguns minutos após a abertura do sistema, a presidente do Inep, Maria Inês Fini, admitiu o problema e afirmou que o site estava sendo vítima de “ataques”. “A consulta está à disposição, embora nosso site esteja sofrendo inúmeros ataques de pessoas que torcem contra a educação brasileira”, disse ela.

A presidente do Inep não deu detalhes de como ocorreram ou quem seriam os responsáveis pelos atos contra a página do Enem. “Estamos reagindo a esses ataques, tentando recuperar e colocar novamente no ar”, afirmou Maria Inês.

Datas adiadas do Fies e do Prouni

Na noite de segunda-feira (23), antes da abertura do Sisu, o MEC já havia anunciado que, a pedido da área técnica do ministério, as datas de abertura das inscrições do Programa Universidade para Todos (Prouni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram adiadas em um dia.

Segundo a nota do MEC, “razões técnicas exigiram a prorrogação do prazo das inscrições nos dois programas em um dia para garantir a segurança da operação do sistema”. Paulo Barone, secretário de Educação Superior do MEC, explicou na nota que a mudança é “apenas uma precaução técnica” tomada e que “todos os candidatos serão atendidos rigorosamente de acordo com suas notas obtidas no Enem”.

 

Criminoso é morto por passageiro durante assalto

29 de janeiro de 2017 at 02:21
Criminoso é morto por passageiro durante assalto (Foto: Via Whatsapp)

Corpo de assaltante permaneceu estirado no chão aguardando IML (Foto: Via Whatsapp)

Um assaltante foi morto a tiros na noite desta terça-feira (24), próximo ao final da linha de ônibus do Tapanã, em Belém. Segundo informações coletadas na área pela Polícia Militar, o criminoso estaria acompanhado de mais três comparsas quando anunciou o assalto, próximo a Rodovia do Tapanã com a Arthur Bernardes.

Ainda de acordo com a PM, o criminoso estaria finalizando o assalto, quando foi surpreendido por um passageiro, que sacou de uma pistola e disparou pelo menos duas vezes contra a vítima, que morreu ainda no local.

Os outros três bandidos fugiram do local. Revoiltados, parte dos passageiros arremessou o corpo do criminoso da janela do coletivo.

O Instituto Médico Legal foi chamado, e até a hora de fechamento desta reportagem, às 21h17, ainda não havia chegado ao local para dar início aos trabalhos de perícia e remoção do corpo.

(DOL)