Popular Tags:

Prefeito deposita lixo em aterro interditado e é preso

15 de junho de 2018 at 00:13

Prefeito deposita lixo em aterro interditado e é preso (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Após autorizar o descarte do lixo da cidade em um aterro sanitário interditado, o prefeito Gilson Pimentel (PSDB) foi preso na tarde desta quarta-feira (13), acusado de crime ambiental em Murutinga do Sul, interior de São Paulo.

A assessoria do prefeito justificou que a cidade não tem onde depositar o lixo e “luta há anos para regularizar a situação do aterro”. Além do prefeito, um fiscal e três funcionários da limpeza pública foram presos.

DENÚNCIA

O crime foi denunciado anonimamente, que informava da existência de um caminhão descarregando lixo no aterro interditado pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

(Com informações do UOL)

Barco cheio de estudantes naufraga no Acará

15 de junho de 2018 at 00:09

Barco cheio de estudantes naufraga no Acará (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Uma embarcação com alunos de uma escola pública de Acará naufragou após colidir com uma outra embarcação, na última terça-feira (12). Todos conseguiram sair antes do barco afundar e não houve feridos.

De acordo com testemunhas, a embarcação, que saiu por volta das 18h30 com destino a localidade de São Domingos, prestava serviço para a prefeitura de Acará. A estrutura precária e a falta de documentação regular chamaram logo a atenção dos agentes.

De acordo com um dos alunos presentes, a embarcação não possuía sinalização correta e nem colete salva-vidas.

A reportagem entrou em contato por telefone com a prefeitura da cidade, mas as ligações não foram atendidas.

(DOL)

Trinta policiais já foram mortos em 2018

14 de junho de 2018 at 08:28

Trinta policiais já foram mortos em 2018 (Foto: Arquivo pessoal)

(Foto: Arquivo pessoal)

A Polícia Civil do Pará investiga a morte do investigador Wangley Wallace Lima de Queiroz, de 32 anos, assassinado com 10 tiros na madrugada de ontem (13), na avenida Independência, em Ananindeua. Há suspeita de latrocínio (matou para roubar). Wallace tinha apenas 3 meses na corporação, deixou esposa com quem era casado há 8 anos e 4 filhos.

Wallace havia saído de casa, no conjunto Paar, e seguia de motocicleta para o distrito de Icoaraci, por volta das 4h, para uma operação policial, quando foi abordado pelos criminosos. O veículo não foi roubado, mas documentos, celular e a pistola calibre ponto 40 da vítima foram levados pelos criminosos. O investigador entrou no quadro da Polícia Civil no último concurso público, no ano passado, e estava lotado em Santa Cruz do Arari, no Marajó, desde março deste ano. Foi o segundo policial civil assassinado no Pará esse ano. Outros 28 PMs também já foram mortos.

Nas primeiras horas após o crime, e durante o dia e ontem, várias equipes de policiais civis buscavam pistas do paradeiro dos assassinos. Alguns suspeitos foram conduzidos pela Polícia Civil até à Unidade Integrada ao ProPaz (UIPP) daquele bairro para prestar esclarecimentos sobre o suposto envolvimento na morte do investigador.

Em uma das averiguações, os policiais encontraram Adenilson Cristiano Rodrigues da Silva dentro de uma residência no bairro Icuí. Segundo o delegado Marco Antônio de Oliveira, diretor de Polícia Especializada (DPE), drogas e uma arma exclusiva da polícia também teriam sido encontrados com ele. “Na hora da abordagem, houve troca de tiros. Ele foi atingido, chegou a ser levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Icuí, mas não resistiu aos ferimentos”, disse Marco Antônio.

Wallace era filho de sargento da Polícia Militar que, em registro oficial à polícia, afirmou que – baseado em supostas testemunhas – os criminosos festejaram com fogos a morte do policial, ainda no local do crime. O irmão do investigador assassinado, Wanderson Queiroz – tenente da Polícia Militar – conversou com o DIÁRIO. Ele acredita na possibilidade de latrocínio. “Entendo que eles [criminosos] não sabiam que ele era policial, foram para roubar”, comentou.

PRETENDIA SER DELEGADO

Wanderson lamentou a morte do irmão. “Ele tinha um grande apreço pela profissão. Era advogado e pretendia ser delegado. Infelizmente, o que fica é uma mistura de revolta com tristeza”, desabafou. O corpo do investigador foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) no final da manhã de ontem, levado para ser velado na travessa Lomas Valentinas, bairro do Marco. O enterro será hoje, em Marituba.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Agentes Públicos, da Divisão de Homicídios. Em nota, a Polícia Civil afirmou que já investiga as circunstâncias do assassinato do investigador. “Ainda não há informações sobre os autores do crime e de que forma eles agiram, nem se estavam usando veículo”, informou a nota. As diligências são coordenadas pelo delegado-geral adjunto, Rogério Morais, e pelo diretor de polícia metropolitana, delegado Aldo Botelho.

“São quase 30 equipes de policiais civis de todas as unidades da capital nas buscas aos criminosos”, acrescentou a informação oficial.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)

 

Temperatura na Grande Belém já se aproxima de 35°C. Saiba como se proteger do calor!

13 de junho de 2018 at 12:42

Temperatura na Grande Belém já se aproxima de 35°C. Saiba como se proteger do calor! (Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Nos últimos dias, o clima esquentou de vez em Belém e a população já sente o impacto das altas temperaturas. Até mesmo à noite, quando em geral o calor diminui um pouco mais, o clima segue abafado.

Segundo José Raimundo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura máxima na Grande Belém já aumento 1.5°C em relação ao final do período chuvoso. Mais que isso: a média atual, em especial em nos horários considerados de pico de calor, de 13h a 16h, já atingiu 34.6°C, índice registrado na última terça-feira (12).

Ainda de acordo com ele, até mesmo a noite está mais quente, com as médias variando de 24.4°C e 27.6°C. As altas médias são resultado de processos como os raios solares ficarem ‘presos’ na termosfera, aumentando então a sensação térmica.

Apesar das altas nas temperaturas, a previsão tanto do Inmet quanto do Climatempo é que haja pancadas de chuva nos próximos dias, o que pode ajudar a diminuir um pouco, ainda que momentaneamente, o calor que castiga a população.

Imagem: Reprodução/ Climatempo

 

COMO SE PROTEGER DO CALOR?

Veja abaixo algumas dicas que podem ajudar você a se proteger do clima quente em Belém:

1. Parece óbvio, mas sempre é importante beber muita água para evitar a desidratação. Por mais que às vezes ‘uma cervejinha’ ou mesmo refrigerantes sejam preferidos, o ideal também é consumir muita água, já que ela ajuda a regular a temperatura do corpo, repõe os minerais e hidrata o organismo. A cerveja é perigosa também porque tem ação diurética e pode facilitar a desidratação.

2. Também pode ser clichê, mas uma refeição leve não pode ser desconsiderada. O ideal é consumir grandes quantidades de frutas e verduras da estação. Evite exagerar nas proteínas, já que elas aceleram o metabolismo e isso faz com que a temperatura do corpo aumente.

3. Tome quantos banhos você quiser e troque de roupas com frequência. Uma dica interessante é vestir roupas molhadas ao sair do banho, assim, elas vão secar no seu corpo e você se sentirá fresco por mais tempo;

4. Ainda quanto às roupas, prefira cores claras e tecidos leves e naturais, como o algodão. Roupas sintéticas e muito justas apenas aumentarão a sensação de calor. O mesmo vale para as roupas de cama;

6. Outra opção para tentar amenizar o calor é usar um borrifador cheio de água gelada sempre por perto. Espirre água no rosto e no corpo – a evaporação diminuirá a sensação de calor. Essa técnica também pode ser usada com crianças pequenas;

7. Ao sair de casa, leve sempre uma sombrinha e lembre-se de que ela é sua sombra portátil. Chapéus e óculos de sol também são itens importantes nos dias mais quentes;

8. Não deixe de passar protetor solar em todas as áreas expostas e reaplicar conforme as informações do fabricante para evitar queimaduras;

9. Posicione os ventiladores em lugares estratégicos da casa para mandar o calor embora. Coloque uma bacia de água na frente de cada um dos ventiladores para refrescar ainda mais os ambientes;

10. Promova correntes de ar e evite a entrada do sol. Para isso, abra e feche portas e janelas conforme o lado que o vento fresco sopra e feche as cortinas para impedir que o sol aqueça ainda mais a casa;

11. Prefira ficar em lugares baixos, já que a tendência é que o ar quente suba e se aloje mais próximo ao teto ou nos andares mais altos da casa;

12. Não esqueça dos animais! Eles sentem tanto calor quanto nós sentimos. Por isso, procure dar banhos em gatos, cachorros e outros pets nesse período. Outra boa opção é deixar um pano úmido no chão para que o animal possa deitar ou passar um pouco de água no seu pelo e deixá-lo próximo a um ventilador para se refrescar. Cuide da hidratação do seu bichinho e deixe água fresca sempre disponível.

(Com informações do portal Mega Curioso)

 

Segunda Turma do STF marca julgamento de Gleisi Hoffmann para a próxima terça

13 de junho de 2018 at 07:44

Marido da senadora, ex-ministro Paulo Bernardo também será julgado no próximo dia 19. Acusação diz que eles receberam R$ 1 milhão desviados da Petrobras; defesa nega.

 Por Mariana Oliveira, TV Globo, Brasília
A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo, marido dela (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)
A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo, marido dela (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima terça-feira (19) o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), do ex-ministro Paulo Bernardo e do empresário Ernesto Kugler Rodrigues, ligado ao casal.

Na semana passada, o ministro Celso de Mello, revisor da Lava Jato no STF, liberou o caso para julgamento.

Nesta terça (12), o ministro Ricardo Lewandowski, presidente da Segunda Turma, marcou a sessão destinada à análise do caso.

Segundo a acusação do Ministério Público, os três, “agindo de modo livre, consciente e voluntário”, pediram e receberam R$ 1 milhão desviados do esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

O dinheiro, ainda de acordo com a denúncia, teria sido direcionado para campanha eleitoral de Gleisi em quatro parcelas de R$ 250 mil.

O repasse teria sido realizado, segundo a Procuradoria Geral da República (PGR), por meio de empresas de fachada do doleiro Alberto Youssef contratadas pela Petrobras.

Ainda conforme a PGR, os recursos foram liberados pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, cujo objetivo seria obter apoio político de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo para se manter no cargo.

Versões

À época em que Gleisi e Paulo Bernardo se tornaram réus no Supremo, a defesa da senadora negou os crimes e apontou supostas divergências entre as declarações de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef nas delações premiadas, especialmente em relação ao modo como o dinheiro teria sido repassado.

A defesa de Paulo Bernardo também rebateu a acusação, alegando que não teria sido provada interferência do ex-ministro para manter Paulo Roberto no cargo de diretor na Petrobras.

Íntegra

Leia abaixo a nota divulgada nesta terça-feira pela assessoria de Gleisi:

Nota da senadora Gleisi Hoffmann sobre julgamento no STF

Recebi com serenidade a notícia de que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar, na próxima terça-feira (19), a ação penal em que fui injustamente denunciada, sem qualquer prova ou indício de crime.

No meu caso, a cada falsidade desmascarada durante o processo, os criminosos foram mudando seus depoimentos e mentindo cada vez mais. É escandaloso que a Procuradoria Geral da República (PGR) tenha oferecido denúncia contra mim em vez de punir os que são acobertados pela Lava Jato.

Há quatro anos, aguardo o desfecho dessa trama. Nada vai apagar o sofrimento causado a mim e a minha família, os danos a minha imagem pessoal e política, mas vejo com alívio o dia em que a Justiça terá a oportunidade de me absolver e restaurar a verdade.

Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)

Empresária que teria cometido suicídio foi morta por marido; divisão de bens foi a causa

12 de junho de 2018 at 16:17

Empresária que teria cometido suicídio foi morta por marido; divisão de bens foi a causa (Foto: Arquivo Pessoal)

(Foto: Arquivo Pessoal)

Um suposto caso de suicídio de uma empresária, que havia chocado a cidade de Manaus no último mês de abril, teve uma grande reviravolta nesta segunda-feira (11): a polícia do Amazonas descobriu que a vítima, Jerusa Torres Nakami, foi, na verdade, morta pelo próprio marido, Ivan Rodrigues Chagas, que não queria dividir os bens com a ex-companheira.

O crime ocorreu no último dia 12 de abril, na casa da empresária localizada no conjunto Campos Elísios. O laudo da necropsia já havia refutado a versão de suicídio e constatado que a mulher levou 14 facadas.

Ainda segundo o laudo da perícia, a vítima estava em cima de uma poltrona e foi golpeada múltiplas vezes por um instrumento cortante e perfurante. A causa da morte foi o choque hipovolêmico gerado pela hemorragia externa maciça.

Segundo familiares da vítima, Jerusa era dona de uma empresa de segurança eletrônica. Após sete dias da morte dela, o marido, Ivan Rodrigues, impetrou uma requisição de alvará judicial para administrar e gerir o negócio.

O principal acusado do crime também solicitou, no último dia 6 de junho, uma ação de reconhecimento de união estável, cumulada com partilha de bens ou indenização.

Todos os processos requeridos foram negados pelo Tribunal de Justiça do Amazonas.

Ivan Rodrigues das Chagas compareceu a uma delegacia acompanhado de um advogado e confessou a morte da empresária, na tarde desta segunda-feira. Ele não foi preso porque já havia expirado o prazo do flagrante.

Caso extraconjugal

A mulher de 50 anos decidiu se vingar e começou a mandar mensagens para Jerusa, informando os locais de encontro do empresário com a nova amante. A empresária, então, decidiu pedir a separação com divisão de bens.

Ivan não teria aceitado a divisão, já que, segundo a família da vítima, tinha planos de administrar a totalidade dos bens patrimoniais e financeiros da empresa.

(Com informações dos portais Em Tempo e Portal da Holanda)

Temer assina decretos que modificam regras do setor de mineração

12 de junho de 2018 at 16:06

Um dos textos muda regras de distribuição da CFEM, espécie de royalties do setor. Outro decreto determina normas como o fechamento de minas após a exploração.

Por Guilherme Mazui, G1, Brasília

O presidente Michel Temer assinou decretos com novas normas para o setor de mineração (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Michel Temer assinou decretos com novas normas para o setor de mineração (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Michel Temer assinou nesta terça-feira (12), em cerimônia no Palácio do Planalto, um decreto que atualiza o Código de Mineração e outro que traz novas regras para a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), espécie de royalties do setor.

Pela Constituição, as jazidas e os depósitos minerais são bens da União. A atividade de mineração é autorizada sob o regime de concessão pública. Em contrapartida, as empresas que exploram os minérios têm que pagar uma compensação. Segundo o Ministério de Minas e Energia, o setor mineral pagou cerca de R$ 1,8 bilhão de CFEM no ano passado.

O decreto que trata da compensação estabelece que os municípios “não produtores”, mas que sofrem impacto da atividade de mineração, recebam 15% da CFEM. Transporte, embarque e presença de instalações industriais no território são exemplos de impactos que dão direito a receber parte da CFEM.

O ministério informou que o percentual de 15% foi obtido a partir de um rearranjo nos valores pagos aos outros entes federativos. Segundo a pasta, a divisão entre União, estados e municípios da CFEM tem as seguintes mudanças:

  • Municípios produtores recebiam 65% e passarão a receber 60%
  • Município “não produtores” passarão a receber 15%
  • Estados recebiam 24% e passarão a receber 15%
  • União recebia 12% e passará a receber 10%

Em discurso, o presidente Michel Temer disse que os decretos vão fazer a mineração mais “competitva, sustentável e inovadora”.

“Medidas que refletem as melhores práticas internacionais de mineração e aprimora a segurança jurídica. Também facilita o acesso ao crédito e assegura a continuidade da pesquisa mineral”, afirmou o presidente.

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que o setor de mineração representa 4% do Produto Interno Bruto do país. Para ele, as mudanças na distribuição da CFEM ajudam a repartir “a riqueza” do país.

“O resultado que vai significar [a mudança na CFEM] para as finanças, sobretudo dos municípios, fazendo justiça, repartindo a riqueza do pais, cobrindo eventuais desgastes em função da exploração, é um ganho de civilidade política, um ganho de civilidade institucional”, disse o ministro.

Código de Mineração

O decreto que atualiza do Código de Mineração, segundo o MME, traz “exigências ambientais mais rígidas, como a previsão expressa da responsabilidade do minerador de recuperar áreas degradadas”.

Outro ponto do decreto prevê que a Agência Nacional de Mineração (ANM) discipline, por meio de resolução, o aproveitamento de rejeitos e resíduos da atividade mineradora. Também obriga as mineradoras a fechar a mina, por se tratar da exploração de um recurso finito.

Segundo o governo, será obrigatória “a execução adequada de um plano de fechamento de mina, que passa a integrar o conceito de atividade minerária”.

De acordo com Temer, a obrigatoriedade do fechamento demonstra a intenção do governo de garantir a “sustentabilidade” na atividade mineral.

“Passamos a exigir expressamente que os planos de fechamento de mina sejam seguidos à risca. Deixamos mais claro, ainda, a obrigação de recuperar as áreas degradadas”, afirmou Temer.

O texto ainda permite utilizar o título minerário (portaria de lavra) como garantia em operações de financiamento, a fim de incentivar investimentos no setor.

Segundo o ministério, “as normas vão contribuir para a atratividade do setor, imprimindo maior transparência, agilidade e segurança jurídica ao setor mineral brasileiro”.

‘Fecho’ das reformas

No discurso, Temer afirmou que em dois anos de governo levou adiante projetos que “estavam paralisados, estagnados, reduzidos a quase nada”.

Segundo ele, os decretos assinados nesta terça representam “quase um fecho” das reformas realizadas por sua administração.

“Especialmente, hoje, eu quero dizer que é quase um fecho, digamos assim, das grandes reformas que fizemos no governo, porque posso rotular esse ato como um ato também reformista”, disse.

Entre as reformas realizadas durante o governo estão as mudanças na legislação trabalhista e a reforma do ensino médio. Temer enviou ao Congresso uma proposta de emenda à Constituição para alterar as regras da Previdência, porém, sem a garantia de votos para aprová-la, deixou a medida de lado.

O governo desistiu das mudanças nas regras previdenciárias em fevereiro, quando decretou a intervenção federal no Rio de Janeiro. Enquanto durar a intervenção, até dezembro deste ano, não é possível alterar a Constituição.

Histórico

O ministério informou que os decretos assinados nesta terça dão continuidade às mudanças no setor promovidas pelo governo. No ano passado, Temer lançou o Programa de Revitalização da Indústria Mineral Brasileira.

Também em 2017, o Congresso Nacional aprovou medida provisória enviada pelo governo com mudanças na alíquota da CFEM. Com a decisão, a alíquota de imposto sobre a exploração do ferro (que representa a maior parte da produção mineral brasileira) passou de 2% do faturamento líquido da mineradora para 3,5% do faturamento bruto.

Outra MP aprovada no ano passado criou a Agência Nacional de Mineração para substituir o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) na regulação e fiscalização do setor de mineração.

Mudanças no setor de exploração mineral eram debatidas desde o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Em junho de 2013, ela enviou ao Congresso um projeto que alterava as regras do setor, mas a proposta não seguiu em frente.

O marco regulatório da mineração proposto pelo então governo trazia mudanças que foram feitas no governo Temer, como a atualização das alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem) e transformação do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) na Agência Nacional de Mineração.

Carroça vira ‘ambulância’ em Igarapé-Miri. Veja o vídeo!

12 de junho de 2018 at 14:25

Carroça vira 'ambulância' em Igarapé-Miri. Veja o vídeo! (Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Nos últimos dias, o apresentador Renê Marcelo, da RBA TV, registrou um flagrante na Vila Maiuatá, em Igarapé-Miri, região nordeste do Pará, que mostra o descaso com a saúde no local.

Sem ambulância, uma senhora que passava mal foi atendida por outros moradores e levada ao posto de saúde no município em uma carroça.

Veja a matéria:

PROBLEMAS SE ACUMULAM NA CIDADE

(DOL)

 

Assalto com refém causa terror em Shopping de Belém. Veja o vídeo

11 de junho de 2018 at 13:57

Assalto com refém causa terror em Shopping de Belém. Veja o vídeo (Foto: via WhatsApp)

(Foto: via WhatsApp)

Assalto com refém causa pânico nos clientes e funcionários de um Shopping localizado no Km 0 da Br 316, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. Um homem, que ainda não foi identificado, entrou armado com uma faca e fez uma mulher refém em um supermercado do local. Confira no vídeo.

Pará Notícias@Paranoticias1
 Homem armado com faca faz mulher de refém dentro do Shopping Castanheira (supermercado líder)

O suspeito foi preso após negociação com policiais. (Foto: reprodução/Twitter)

Policias militares acompanharam o caso e negociaram a liberação da vítima. De acordo com a Polícia Civil, o homem estava tentando fugir de desafetos e ao entrar no shopping, usou a mulher, que ainda não foi identificada, como escudo humano para se proteger. Ainda de acordo com a polícia, o homem foi apresentado e está sendo ouvido na Seccional da Marambaia. A vítima também deverá ser ouvida para esclarecer os fatos.

Incêndio em subestação da Celpa deixa vários municípios do Pará sem energia

11 de junho de 2018 at 12:47

Incêndio em subestação da Celpa deixa vários municípios do Pará sem energia (Foto: Celpa/Divulgação)

Incêndio causou interrupção do fornecimento de energia em vários municípios. (Foto: Celpa/Divulgação)

O fornecimento de energia foi interrompido em vários municípios do Pará após um incêndio de grande proporção que atingiu a subestação da Celpa de Vila do Conde, no município de Barcarena, no nordeste paraense, na noite do último domingo (10).

O Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas. As causas do incêndio estão sendo apuradas.

Os primeiros municípios atingidos foram Ponta de Pedras, Cachoeira do Ararí, Salvaterra, Soure, Igarapé Mirim, Abaetetuba, Mocajuba e Tomé-Açu, mas segundo a Celpa, o serviço já foi normalizado.

Em Barcarena, o fornecimento de energia foi normalizado no início da manhã desta segunda-feira (11), segundo a Celpa.

Já os municípios de Moju e Tailândia continuam sem energia elétrica. A previsão, de acordo com a concessionária de energia, é que o serviço seja normalizado até o final do dia de hoje.

Ver imagem no Twitter

Celpa Oficial@CelpaOficial
 Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para conter as chamas e as nossas equipes não medem esforços para recompor o sistema o mais breve possível. As causas do incidente já estão sendo apuradas.
 (DOL)