Popular Tags:

Aneel autoriza entrada em operação de última turbina de Belo Monte

20 de novembro de 2019 at 09:52

Agência Brasil

Regina Santos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou hoje (19) a entrada em operação comercial da 18ª turbina da usina hidrelétrica de Belo Monte. Com o funcionamento da turbina, a usina, localizada no Rio Xingu (PA), passa a ter capacidade instalada de 11.233,1 MW e quantidade média de geração de energia de 4.571 MW.

Belo Monte é a maior usina hidrelétrica 100% brasileira. O contrato de Belo Monte, arrematada em leilão pelo consórcio Norte Energia em 2010, é de 35 anos, com data inicial de agosto de 2010.

Durante a cerimônia, o diretor presidente da Aneel, André Pepitone, destacou que a energia gerada pela usina, vai atender cerca de 60 milhões de pessoas em todos os estados dos país.

“Belo Monte vai gerar energia para atender 18 milhões de residências ou 60 milhões de brasileiros, o que equivale à população da Itália. Belo Monte sozinha atende à Itália”, disse.

Os estudos de viabilidade para a implantação da usina começaram em 1975. A área alagada do empreendimento é de 478 km² e o vertedouro tem capacidade de 62 milhões de m³/s. Os reservatórios da usina estão situados entre os municípios de Altamira, Brasil Novo e Vitória do Xingu. Já a área de abrangência da usina ainda contempla outros dois municípios: Anapu e Senador José Porfírio.

Rodrigo Maia anuncia pacote com propostas de combate à desigualdade e à pobreza

19 de novembro de 2019 at 18:49

Por Fernanda Calgaro, G1 — Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou nesta terça-feira (19) um pacote com propostas de combate à desigualdade e à pobreza.

A Agenda de Desenvolvimento Social é dividida em cinco pilares e foi elaborada por um grupo formado por cinco deputados e um senador. O grupo ouviu especialistas de diferentes áreas.

De acordo com a assessoria do grupo, serão apresentadas nas próximas semanas uma proposta de emenda à Constituição (PEC) e ao menos sete projetos de lei.

Uma das propostas, por exemplo, prevê incluir programas de transferência de renda como o Bolsa Família na Constituição (leia detalhes mais abaixo). A íntegra das medidas não foi divulgada até a última atualização desta reportagem.

Segundo a assessoria do grupo, os cinco “pilares” das propostas são:

  • garantia de renda;
  • inclusão produtiva;
  • rede de proteção do trabalhador;
  • água e saneamento;
  • governança e incentivos.

Coordenado pela deputada Tabata Amaral (PDT-SP), o grupo é formado pelos deputados Felipe Rigoni (PSB-ES), João Campos (PSB-PE), Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) e Raul Henry (MDB-PE), além do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Redução da injustiça social

Durante o lançamento do pacote, Rodrigo Maia afirmou que o objetivo é continuar trabalhando pela aprovação das reformas econômicas. Segundo ele, as medidas têm “viés social” e “tendem a reduzir injustiça dentro da sociedade”.

“A nossa agenda vai além das reformas econômicas com o objetivo de ter um país mais igual”, disse Maia durante o lançamento.

O anúncio foi acompanhado por deputados de vários partidos, como PDT, PSB, PSDB, MDB, Novo, Podemos e PV, além do senador Alessandro Vieira (Cidadania -SE).

Bolsa Família

Segundo o grupo, o primeiro pilar a ser trabalhado será o da garantia de renda.

Conforme a PEC sugerida, será modificado o artigo 203 da Constituição Federal para assegurar a garantia de transferência de renda a famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza, tornando programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, uma política de Estado e não de governo.

A proposta visa, ainda, garantir o crescimento real (acima da inflação) dos repasses do programa.

Análise sobre uso detalhado de dados do Coaf em investigações divide Supremo

18 de novembro de 2019 at 15:59

Por Gerson Camarotti

Comentarista político da GloboNews, do Bom Dia Brasil, na TV Globo, e da CBN. É colunista do G1 desde 2012

Tudo indica um placar apertado no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quarta-feira (20) sobre o uso de dados financeiros detalhados do antigo Coaf, da Receita Federal e do Banco Central para investigações. Segundo integrantes do Supremo, a Corte está dividida sobre esse tema.

Há preocupação de investigadores – especialmente do Ministério Público Federal (MPF) – com essa análise pelo STF. Em julho, presidente da Corte, o ministro Dias Toffoliatendeu um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e impediu que a polícia e o Ministério Público usem dados detalhados do antigo Coaf sem autorização da Justiça.

A avaliação de procuradores e delegados federais ouvidos pelo blog é que o impedimento de acesso aos dados de órgãos de controle irá afetar investigações sobre corrupção, lavagem de dinheiro e até mesmo sobre crime organizado e de financiamento do terrorismo.

A decisão de Toffoli de restringir o uso em investigações dos relatórios do antigo Coaf, atual Unidade de Inteligência Financeira (UIF), levou o principal órgão internacional de prevenção à lavagem de dinheiro, o Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (Gafi), a no mês passado expressar preocupações sobre a capacidade do Brasil de combater esses crime .

Na ocasião, Toffoli determinou que todos os processos que utilizam provas obtidas pelo Coaf sem autorização judicial devem esperar decisão definitiva da Corte. A demora no julgamento paralisou várias investigações que obtiveram dados detalhados do antigo Coaf, Receita e BC.

De acordo com levantamento do MPF divulgado em outubro, ao menos 700 ações e investigações estão paradas pela decisão do presidente do Supremo.

Na semana passada, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) também manifestou “preocupação” com suspensão das investigações com dados do antigo Coaf. Para grupo de trabalho que visitou o país, a decisão que suspendeu investigações “não segue os padrões internacionais de luta contra a lavagem de dinheiro”.

A OCDE é o organismo no qual o Brasil pleiteia uma vaga e que reúne 36 países defensores da democracia representativa e da economia de mercado.

Bebianno disse ter fotos de ‘suruba gay’ para impedir que príncipe fosse vice de Bolsonaro

14 de novembro de 2019 at 09:09

Michel Jesus/Agência Câmara

Jair Bolsonaro desistiu de convidar o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança para ser vice da chapa à presidência da república depois de ter sido informado por seu então braço direito, o advogado Gustavo Bebianno , que haveria fotos de Orleans e Bragança participando de uma orgia e que ele teria envolvimento em agressões a moradores de rua. As informações foram publicadas pela revista Crusoé e confirmadas pela revista Época.

“Bebianno armou e não queria que eu fosse o vice. Ele disse ao presidente que haveria um dossiê que tinha fotos minhas, segundo um amigo me contou na ocasião. O dossiê foi usado porque era domingo de manhã e era o último dia para protocolar quem seria o vice. Ele não queria colocar um militar, inicialmente”, disse Orleans e Bragança à Época em reportagem publicada nesta quarta-feira (13).

“O dossiê era de fotos que eu fazia uma suruba gay e que eu batia em mendigo”, contou. À Crusoé, ele afirmou que “não é gay e nem sabe onde faz suruba”.

Philippe contou ainda à Época que Bolsonaro lhe pediu desculpas na última terça-feira (12).

O deputado federal Alexandre Frota também confirmou à colunista da Folha de S.Paulo, Mônica Bergamo, que Bolsonaro lhe perguntou sobre o príncipe. “Me perguntou se eu sabia se o príncipe era gay ou não. Eu disse que não sabia”.

Segundo o deputado, o então candidato a presidente pediu a ele o número do celular do presidente do PRTB, Levy Fidelix, para convidar o general Hamilton Mourão para ser candidato a vice.

“Ele [Bolsonaro] pediu para que eu não falasse nada sobre o príncipe deixar de ser o vice dele, que ele conduziria com a imprensa”, diz Frota.

O Palácio do Planalto disse que não vai comentar.

(Com informações da Época e da Folha de S. Paulo)

Vereador Carlos Bolsonaro deleta perfis do Twitter, Instagram e Facebook

12 de novembro de 2019 at 18:53

Por G1 Rio

O vereador Carlos Bolsonaro no Palácio do Planalto — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O vereador Carlos Bolsonaro no Palácio do Planalto — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

As redes sociais do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) foram retiradas do ar nesta terça-feira (12). As páginas dele no Facebook, no Twitter e no Instagram não estavam disponíveis desde o início da manhã até a última atualização desta reportagem. Carlos é filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

G1 entrou em contato com os telefones do assessor e do próprio vereador, mas não obteve resposta.

O PSC informou que não ia se pronunciar. “O PSC não tem nada a dizer sobre o fato de o verereador Carlos Bolsonaro ter apagado suas contas das redes sociais”, informou a assessoria do partido.

O Twitter informou que não tomou qualquer medida em relação a conta do vereador. O G1 apurou que as contas também não foram removidas pelo Facebook ou Instagram.

Perfil de Carlos Bolsonaro no Facebook desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/FacebookPerfil de Carlos Bolsonaro no Facebook desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/Facebook

Perfil de Carlos Bolsonaro no Facebook desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/Facebook

Perfil de Carlos Bolsonaro no Twitter desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/TwitterPerfil de Carlos Bolsonaro no Twitter desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/Twitter

Perfil de Carlos Bolsonaro no Twitter desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/Twitter

Perfil de Carlos Bolsonaro no Instagram desativado nesta terça-feira (12) — Foto: Reprodução/Instagram

Engajamento digital

Carlos é conhecido por ter papel importante nas redes sociais não apenas dele, como também na do presidente da República. Ano passado, uma reportagem do jornal O Globo divulgou que Carlos chegou a dizer que não cuidaria mais das redes do pai. Ele foi o responsável pela estratégia digital nas redes desde início da campanha à Presidência.

Porém, no dia 17 do mês passado, Carlos pediu desculpas por uma mensagem publicada na conta oficial do Twitter do pai. O texto, apagado em seguida, dizia que o presidente apoiava a prisão após condenação em segunda instância e que uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o tema tramita no Congresso.

A um usuário, ele respondeu que estava “assumindo a culpa” pela mensagem publicada na conta do pai.

Jovens da base bicolor se destacam e vão fazer parte do elenco profissional em 2020

10 de novembro de 2019 at 10:52

Jorge Luiz/Paysandu

A promessa é antiga, mas quase nunca cumprida. Cada novo treinador que “desembarca” na Curuzu traz sempre na bagagem o discurso pronto e batido de valorização do atleta formado na base do clube. Poucos garotos, no entanto, têm conseguido transpor essa “porta da esperança” que abre caminho para a carreira profissional, sonho alimentado por cada um desses atletas. O técnico Hélio dos Anjos, porém, parece disposto a quebrar de vez com esse paradigma, o que é visto, óbvio, com bons olhos por todos aqueles que almejam um dia atingir o estrelato maior no futebol brasileiro ou, melhor ainda, no do exterior.

Neste final de temporada, pelo menos cinco dos muitos jogadores surgidos na base do Paysandu estão ganhando, como presente antecipado de Papai Noel, a chance de sonhar com a titularidade na equipe principal do Papão em 2020. Ainda no sub-20 do clube, com alguma escassa experiência em treinos com os profissionais, os atletas Kerve (zagueiro), Flávio e Marco Antônio (atacantes) assinaram o primeiro contrato de profissional por recomendação de Dos Anjos. Além deles, o volante Yure e o atacante Bruce, também saídos da base, tiveram seus vínculos renovados.

Os jovens atletas, com idade variando entre 18 e 21 anos, seguirão defendendo a base do Papão, mas com possibilidades bem maiores de treinarem com frequência no elenco principal do clube, o que aumentam as chances de cada um ter a sua vez no time principal. No caso de Yure, de 21 anos, e Bruce, de 19 anos, a novidade maior ficou mesmo por conta da renovação contratual, visto que eles já participam de treinos e até jogos do time profissional do clube, assim como Aslen, de 21 anos, atacante também vindo da base.

O zagueiro Kerve, de 20 anos, e os atacantes Flávio e Marco Antônio, de 18 e 19 anos, respectivamente, são menos experientes nos treinos com os profissionais, mas agora, após a assinatura de contrato, eles passam a ter o direito de sonharem ainda mais em deslanchar na carreira. A primeira chance chegou bem antes do início de 2020, com a participação do trio no amistoso contra a Tuna Luso. Partida em que Dos Anjos também utilizou Yure e Bruce, além do próprio Aslen e o meia Lucas Geovanni, também do sub-20.

O amistoso com a Lusa, assim como o disputado contra o Sport Belém, quando Dos Anjos voltou a utilizar alguns dos garotos, parece ter entusiasmado ainda mais o treinador em sua determinação de valorizar a garotada do clube. “Fico empolgado em ver esses garotos da base jogando. Minha vida começou lá, na base”, declarou Dos Anjos, cheio de empolgação.

1º CONTRATO

Cada um à sua maneira, os três novos contratados do Paysandu, o zagueiro Kerve e os atacantes Marco Antônio e Flávio comemoram a primeira assinatura de contrato como jogador profissional. O aumento da responsabilidade e a certeza de uma cobrança ainda maior não abala o sonho acalentado por cada um deles em se tornar jogadores profissionais, sonho que no caso do defensor se concretizou de forma surpreendente. “Foi tudo muito rápido, eu não esperava subir assim para o profissional”, contou Kerve, que é cearense nascido em Fortaleza.

Até mesmo a chegada do zagueiro ao sub-20 do Paysandu aconteceu de forma surpreendente. “Eu estava em casa e aí recebi uma mensagem para fazer um teste para o sub-20, falei com a minha mãe e ela me deu força. Graças a Deus está dando tudo certo”, contou. Sobre o contrato que ele e os dois companheiros ganharam, Kerve comentou: “É muito importante essa moral que eles estão dando para a gente” afirmou.

Não menos satisfeito, Flávio não abre mão de agarrar a oportunidade com unhas e dentes e, sobretudo, muitos gols. “A expectativa é muito boa para o ano que vem, espero fazer bons treinos e esperar as oportunidades aparecerem. Vou abraçar da melhor maneira”, avisa o atacante, que está há seis meses na Curuzu, depois de ter passado pela Tuna Luso e pelo Coimbra-MG. O outro atacante, Marco Antônio, cujo início foi no futsal do clube também não esconde o contentamento por ter se tornado profissional. “Estou muito feliz. Era um sonho de criança ser um jogador profissional, principalmente em clube grande como o Paysandu e poder assinar o contrato”, revelou.

TEMPO AO TEMPO

Embora os três atletas vindos da base tenham dado um passo importante para a concretização de se tornarem realmente profissionais, Kerve, Flávio e Marco Antônio, assim como o volante Yure e o atacante Bruce, que tiveram seus vínculos renovados, ainda têm muita estrada a percorrer. Uma caminhada quase sempre crivada de obstáculos para quem é jogador da casa. A maior dessas dificuldades parece ser superar os concorrentes da posição, quase sempre importados de outros centros, e assim cair no gosto do torcedor.

De início não dá para ir logo sonhando em se tornar um ídolo da torcida num piscar de olhos. O próprio técnico Hélio dos Anjos recomenda cautela. “É preciso ter calma com esses garotos, que precisam ir sendo preparados aos poucos”, ensina Dos Anjos, com vasta rodagem no futebol e larga experiência na revelação de atletas. Apesar de toda a precaução do treinador, ele sinaliza com a possibilidade de em breve utilizar este ou aquele atleta vindo da base na equipe principal do Papão.

“É importante pra mim neste momento criar opção de jogadores jovens”, diz Dos Anjos, injetando ainda mais empolgação na garotada. “Em breve vamos ter, com toda a certeza, jogadores da base envolvidos com o profissional”, anuncia. Ao mesmo tempo em que acredita enriquecer o seu trabalho à frente do elenco ao promover a garotada, o treinador colabora com o clube. “São esses garotos que vão evitar do clube ser obrigado a fazer tantas contratações”, salienta Dos Anjos, conhecedor das dificuldades financeiras enfrentadas pela atual gestão bicolor.

Pressionado por protestos, Evo Morales decide convocar novas eleições na Bolívia

10 de novembro de 2019 at 10:18

Por G1

Presidente da Bolívia, Evo Morales, deixa coletiva de imprensa junto com o vice-presidente e o ministro de relações exteriores neste sábado (9) — Foto: Manuel Claure/Reuters

Presidente da Bolívia, Evo Morales, deixa coletiva de imprensa junto com o vice-presidente e o ministro de relações exteriores neste sábado (9) — Foto: Manuel Claure/Reuters

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou na manhã deste domingo (10) que decidiu renovar os membros do Tribunal Superior Eleitoral e convocar novas eleições.

O anúncio veio logo depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) afirmou que houve irregularidades na eleição presidencial do dia 20 de outubro, quando Evo foi reeleito em primeiro turno, e recomendou que uma nova votação seja feita.

A entidade publicou um relatório preliminar sobre o pleito, vencido por Morales –ele teve 47.07% dos votos, e Carlos Mesa, o segundo colocado, 36,51%. Como é uma diferença de mais de 10 pontos percentuais, o atual presidente foi reeleito em primeiro turno.

Em seu comunicado, a OEA diz: “A equipe de auditores não pôde validar o resultado da presente eleição, e recomenda um outro processo eleitoral. Qualquer futuro processo deverá contar com novas autoridades eleitorais para poder levar a cabo eleições confiáveis.”

O resultado foi contestado pela oposição e, no dia 30 de outubro, a Bolívia e a OEA concordaram em realizar uma auditoria.

Neste domingo (10), a entidade divulgou os resultados preliminares de sua investigação.

Ela diz ter identificados problemas nas seguintes etapas do processo:

  • Tecnologia da eleição
  • Cadeia de custódia
  • Integridade das atas eleitorais
  • Projeções estatísticas
  • Assinaturas falsas e falhas de segurança
  • Manifestação em La Paz contra o presidente Evo Morales da Bolívia, em 9 de novembro de 2019 — Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters
  • Manifestação em La Paz contra o presidente Evo Morales da Bolívia, em 9 de novembro de 2019 — Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

Deputado do PSL prega golpe ao STF: “Se precisar de um cabo estou aqui”

9 de novembro de 2019 at 10:11

Deputado Federal Daniel Silveira (PSL-RJ) [Michel Jesus/Câmara dos Deputados]

Congresso em foco

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir pela inconstitucionalidade da prisão em segunda instância, o que deve resultar na soltura de presos da Lava Jato, dentre eles o ex-presidente Lula, o deputado da ala bolsonarista do PSL, Daniel Silveira (RJ), publicou em sua conta no Twitter que “se precisar de um cabo” pode contar com ele. A publicação é uma clara referência a fala de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, que declarou em 2018 que para fechar o STF bastaria um cabo e um soldado.

Juízes mandam soltar petista José Dirceu e ex-tucano Eduardo Azeredo

9 de novembro de 2019 at 09:50

Marcelo Camargo/Agência Brasil

No mesmo dia em que o ex-presidente Lula deixou a prisão, outros políticos presos foram à Justiça pedir o cumprimento da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) contra a prisão de condenados em segunda instância.

Os dois beneficiados mais conhecidos são o ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (recém-desfiliado do PSDB), que deixou a cadeia na noite desta sexta-feira (8), e o ex-ministro petista José Dirceu.

As duas decisões ocorrem na esteira do novo entendimento do Supremo sobre a prisão de condenados em segunda instância, definido pela corte na quinta-feira (7).

Azeredo, que chegou a pedir desfiliação do partido neste ano, está condenado a 20 anos e um mês de prisão por peculato (desvio de recurso público) e lavagem de dinheiro no escândalo conhecido como mensalão tucano, relativo a desvios de recursos públicos para financiamento de campanha em 1998.

Ele tinha sido detido em maio de 2018 e agora aguardará em liberdade seus recursos em instâncias superiores. Foi governador de Minas de 1995 a 1998 e também presidente nacional do PSDB.

A defesa do ex-tucano protocolou o pedido de soltura ainda na noite de quinta, logo após a decisão do STF. O aval do juiz responsável, Marcelo Augusto Lucas Pereira, veio à tarde.

O magistrado considerou desnecessário ouvir a opinião do Ministério Público, já que o novo entendimento do Supremo tem repercussão geral.

Para reduzir sua pena na prisão, o ex-governador se dedicou à leitura e a cursos a distância gratuitos oferecidos pelo estado (de educação ambiental a reforma ortográfica). Também foi contratado por uma empresa de turismo para revisar roteiros de viagem, aproveitando sua experiência de turista.

No caso de Dirceu, detido desde maio, a ordem de soltura foi expedida por uma juíza estadual Ana Carolina Ramos, do Paraná.

Além dele e de Lula, na Lava Jato do Paraná, há ao menos outros 11 condenados que devem ser beneficiados pelo novo entendimento do Supremo.

Danilo Pereira Júnior, o juiz federal que mandou soltar o petista, porém, considerou que não cabe a ele despachar em todos os outros casos, já que a administração do cumprimento das penas está com juízes estaduais, inclusive de outros estados.

Os ex-tesoureiros do PT João Vaccari Neto e Delúbio Soares, que estão no regime semiaberto, peticionaram ao magistrado, e foram orientados a procurar a Justiça Estadual do Paraná.

O mesmo ocorreu com Gerson Almada, ex-sócio da empreiteira Engevix, que está detido desde o ano passado.

Ele está fora do regime fechado desde setembro, após mais de quatro anos preso.

Mesmo com essas idas e vindas, o benefício deve ser concedido a esses condenados, já que um juiz de primeiro grau não tem como contrariar uma determinação expressa pelo Supremo.

Na Justiça de São Paulo, peticionaram ainda nesta sexta pela soltura um irmão de Dirceu, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, e um auxiliar do doleiro Alberto Youssef, Waldomiro de Oliveira. Não havia despacho de libertação até a conclusão desta reportagem.

A defesa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, o mais longevo preso da Lava Jato, detido desde 2015, peticionou por sua soltura nesta sexta. Ele já foi condenado a penas que somam mais de cem anos de prisão e negocia há anos, sem sucesso, um acordo de colaboração com a Justiça.

O desfecho do julgamento no Supremo não provocará a soltura de todos os presos da Lava Jato no Paraná, já que ainda há detidos preventivamente. Entre eles, por exemplo, estão o ex-diretor da estatal paulista Dersa, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, suspeito de ser operador do PSDB, e o empresário Wálter Faria, da cervejaria Petrópolis.

No Rio de Janeiro, o novo entendimento do STF também não afeta o ex-governador Sérgio Cabral, que está detido há quase três anos.

Flamengo recebe Bahia em sequência decisiva para o título

9 de novembro de 2019 at 09:44

Alexandre Vidal / Flamengo

O líder Flamengo inicia às 16h deste domingo (10), em duelo com o Bahia no Maracanã, sequência que poderá lhe garantir o título do Campeonato Brasileiro antes do confronto direto que terá com o vice-líder Palmeiras, ainda na briga, no início de dezembro.

Antes dos palmeirenses, o Flamengo terá pela frente, além dos baianos, clássico com o Vasco, em jogo adiantado, reencontro com o Grêmio, rival eliminado na Taça Libertadores, e duelo com o Ceará no Maracanã -entre esses dois últimos jogos, terá a finalíssima do torneio continental contra o River Plate (ARG).

Se conseguir três vitórias e um empate nessas próximas quatro rodadas, o Flamengo chegará aos 84 pontos. Mesmo que não pontue mais a partir disso, poderá ser alcançado nesse quesito pelo Palmeiras, mas ficará à frente no número de vitórias, critério de desempate, garantindo, portanto, o título da competição.

Ao final da última rodada, o Flamengo somava 74 pontos, oito à frente do time alviverde, que tem clássico com o Corinthians neste sábado (9). O time rubro-negro terá ainda na reta final da competição, além da visita ao Palmeiras, duelos com Avaí e Santos -o primeiro em casa e o segundo fora.

O primeiro adversário dos flamenguistas na sequência decisiva, o Bahia, mira objetivo mais modesto: voltar a vencer depois de cinco rodadas, nas quais acumulou três derrotas e dois empates. Se esboçar uma reação, poderá até projetar uma ida à próxima Libertadores.

Hoje, o clube tricolor soma 43 pontos, a cinco do G-6 -que pode virar G-8, caso o Flamengo conquiste a Libertadores neste ano e o Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil, se mantenha entre os primeiros colocados.

No Rio, o time baiano terá dois desfalques. Além de Giovanni, lesionado, Ronaldo não jogará por razões contratuais. As baixas do Flamengo ficam por conta de Rafinha e do treinador Jorge Jesus, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Arrascaeta, lesionado, é dúvida para o confronto.

FLAMENGO

Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; William Arão; Éverton Ribeiro, Gérson e Vitinho; Gabriel e Bruno Henrique. T.: Jorge Jesus

BAHIA

Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore; Artur, Flávio, Marco Antônio e Élber; Gilberto. T.: Roger Machado

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro

Horário: 16h deste domingo (10)

Juiz: Caio Max Augusto Vieira (RN)